AMD na China. Foto: divulgação.

A AMD anunciou que está transferindo a sua operação de chips para PC para a China, levando a fabricação de componentes para o país asiático, onde já conta com unidades de pesquisa e testes.

A decisão da fabricante norte-americana tem a ver com o crescimento do mercado de PCs no oriente, na contramão do restante do globo, onde a mobilidade está rapidamente tirando os desktops de cena.

Segundo afirmou o porta-voz da AMD, Michael Silverman,à PC World norte-americana, o mercado de computadores pessoais na China continua forte. Para crescer neste segmento, a fabricante inclusive está preparando produtos especiais para a demanda local.

Outro ganho estratégico para a fabricante de chips será a proximidade com fabricantes como a Lenovo, líder no setor de desktops, e outras multinacionais com plantas na China, como HP e Dell. Com isso, a AMD espera diminuir sua distância em relação à Intel, primeiro lugar no mercado de processadores x86.

Em termos de valores, a companhia norte-americana não deu detalhes sobre a mudança. No entanto, a expectativa da empresa é de reduzir sensivelmente os custos em fabricação de seus chips, com linhas a partir US$ 60.

Além disso, com componentes de baixo custo, a empresa pretende levar seus produtos a um mercado muito forte na China, o de montadores terceirizados de PCs, que compram peças no varejo.

"A China é grande no mercado de PCs para games, por exemplo, um mercado-chave para a AMD. O mercado White Box (em que lojas montam os computadores) tem um grande papel no país", destaca Nathan Brookwood, analista da Insight 64.