Vista aérea de Ribeirão Preto.

As empresas de Ribeirão Preto, cidade de 650 mil habitantes no interior de São Paulo, se organizaram para formar a sua própria mão-de-obra. 

Iniciou no começo de março a primeira turma do curso gratuito de .Net. Para o qual foram  22 alunos entre mais de 150 inscritos. No segundo semestre, está prevista uma formação em Java para 25 participantes.

As aulas serão ministradas em 14 sábados e 11 domingos até junho de 2014. Patrocinam o curso Consinco, Ribeirão System, Techno Software, Vortice, SOCIN, SiplaControl, Dart Digital, Syspec, TTI do Brasil, Smarapd e NST E-Business.

O programa de capacitação gratuita em tecnologia nasceu de um convênio celebrado em 2013 entre o Polo industrial de Software de Ribeirão Preto (Piso), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e a Fundação Instituto Polo Avançado de Saúde de Ribeirão Preto (Fipase).

Ribeirão Preto é um polo de TI em expansão: 27 das 42 empresas pertencentes ao Piso (Polo Industrial de Softwares) faturaram sozinhas R$ 243,5 milhões no ano passado.

De acordo com informações da Folha de São Paulo, o valor representa 143% a mais que os R$ 100 milhões gerados pelas 25 empresas do polo em 2005. O Piso foi fundado em 2004 por nove empresas.

A título de comparação, as 73 empresas instaladas no Tecnosinos, um dos maiores parques tecnológicos do Rio Grande do Sul, instalado em São Leopoldo, faturaram R$ 1,3 bilhão em 2011, último ano no qual a cifra foi divulgada.