Carlos Caetano.

O PCI Security Standards Council anunciou um desconto de 40% nas suas anuidades para empresas cuja matriz está localizada na América Latina, incluindo o Brasil.

Em nota, a entidade informa que o novo preço é uma “resposta ao feedback da indústria”. O PCI não disse se o desconto tem prazo para terminar.

Com os novos valores, ser uma afiliada passa a custar US$ 2250 e a certificação PCI ISA terá um custo de US$ 1650 por aluno.

O público típico do certificado PCI são organizações que armazenam, processam ou transmitem informações dos usuários de meios de pagamento eletrônico, como adquirentes, gateways de pagamento, prestadores de serviço e estabelecimentos comerciais.

“Quanto mais participantes tivermos, mais diversa serão as experiências e mais efetivas as práticas que garantem a segurança em transações eletrônicas”, afirma Carlos Caetano, diretor regional do PCI SSC Brasil. 

O PCI tem mostrado interesse no Brasil. Em janeiro, criou um “conselho consultivo” por aqui, a primeira iniciativa do tipo por parte da organização.

Ao todo, 15 integrantes participam do conselho, inclui empresas de máquinas de cartão como Cielo, Getnet e Elo, entidades como a Camara-e.net e Air Tkt, empresas como grandes e-commerces como Despegar.com e Saraiva, o Itaú, fornecedores de tecnologia como Tivit, VTEX, First Data e Gertec.

Também participam Esferatur, Fidelity Information Services (FIS), Merchant Services e Foregenix.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Global Consumer Card Fraud, 49% dos brasileiros afirmaram ter sofrido algum tipo de fraude no cartão nos últimos cinco anos, deixando o Brasil em segundo lugar no ranking dos países que mais sofreram esse tipo de fraude.