Divulgação, alumroot/Flickr

Até o final deste ano, as conexões em LTE (4G), deverão quadruplicar.

Segundo estimativa da ABI Research, o uso da quarta geração de transmissão deverá chegar a 40 milhões de acessos no mundo.

Na previsão da consultoria, esse aumento significativo na quantidade de acessos em banda larga 4G deve-se aos futuros lançamentos de devices com a tecnologia LTE de marcas como Nokia, Samsung e Apple, que também devem impulsionar o consumo de dados.

NO MUNDO
De acordo com a ABI Research, atualmente, a América do Norte representa 60% do total de assinaturas de LTE.

Já a região Ásia-Pacífico soma outros 37% do total. Entretanto, o volume de usuários LTE na Ásia-Pacífico tende a ultrapassar o da América do Norte em 2014, especialmente por conta do impulso da adoção da tecnologia na China, Índia, Japão e Coreia.

A perspectiva para esta região é de que o número de assinaturas TD-LTE passará de um milhão ao final de 2012 para 139 milhões em 2017.

China, Índia e Japão, juntos, devem somar 92 milhões destes acessos.

POR AQUI
No Brasil, um leilão das faixas do 4G está marcado para o mês de junho, com preço mínimo fixado pela Anatel para o leilão  – em R$ 3,85 bilhões – , além de garantia exigida pela agência, superior a R$ 1 bilhão.

Apesar do custo, o BNDES deverá ter linhas de financiamento específicas para a tecnologia.

Segundo o governo, que leiloará as faixas de frequência, a meta é ter o 4G, ao menos nas cidades-sede da Copa do Mundo, até o ano do avento: 2014.

Relatório da empresa de pesquisa em tecnologia Pyramid indica que o Brasil terá mais de 18 milhões usuários do sistema LTE até o final de  2015, apesar do ceticismo de algumas operadoras quanto à capacidade do país para implementar essa tecnologia.