Lucindo Copat, diretor-técnico da Salton, em meio ao patrimônio da empresa. Foto: Salton.

A Vinícola Salton, de Bento Gonçalves, adotou um sistema baseado em tecnologia wireless para a fermentação de vinhos.

A solução, na qual a companhia investiu R$ 600 mil, inclui cinco tanques da fabricante italiana Favotto e um sistema embarcado que permite controlar à distância as etapas de produção dos vinhos, da remontagem à manutenção de temperatura.

O diretor-técnico da Salton, Lucindo Copat, explica que a fermentação é um processo longo e delicado, que leva em torno de 20 dias, e agora tudo pode ser comandado sem que nenhum colaborador precise ir até os tanques.

“São muitos processos. As uvas vão para recipientes onde são agitadas, até que a cor da casca passe para o líquido, por exemplo. Com a solução, temos todos os dados de todas as etapas ao alcance do celular a qualquer momento”, destaca Copat.

Os ganhos, conforme o diretor, são muitos. Um deles, a possibilidade de deslocamento de pessoal para outras áreas, o que ajuda a solucionar um problema pelo qual o setor vinícola, assim como a TI, também chora: a carência de mão de obra qualificada.

“Além disso, programamos e acompanhamos remotamente toda a vinificação e manejo das uvas, e isso se traduz em mais qualidade no produto, sem dúvida” , comenta o diretor-técnico.

Inovação que fortalece um negócio que já vai muito bem, obrigada: a Salton produz, atualmente, cerca de 40 milhões de litros por ano, incluindo vinhos, espumantes, destilados e sucos.

Em 2011, a empresa da Serra Gaúcha faturou R$ 255 milhões e este ano projeta chegar a R$ 290 milhões.
A vinícola emprega cerca de 150 colaboradores diretos, mas em breve tanto este número quanto o de produção deverão aumentar.

“Adquirimos 108 hectares de terras em Santana do Livramento, o que pretendemos elevar para 400 hectares e abrir uma nova vinícola dentro de dois anos”, conta Copat.

COPO CHEIO DE TI
A atenção da Salton à TI é constante.

No ano passado, a indústria serrana iniciou um projeto de migração do ERP TotalData para o Totvs Protheus.
O antigo ERP, usado há mais de 20 anos, já não atendia a demandas como a necessidade de integração com a loja virtual da vinícola e recursos de SPED e NF-e.

Além do sistema, a empresa de Bento também anunciou em 2011 planos de investir em um novo sistema de controle e gerenciamento do recebimento de uvas, permitindo identificar por código de barras de que caminhão e de que fornecedor veio o material, além de indicar dados de pesagem e qualidade das uvas, entre outros.

A renovação do parque de servidores, para suportar as novas soluções, também entrou nos planos.

A TI da empresa serrana se divide entre a sede, no distrito de Tuiuti, em Bento, e São Paulo, onde fica o CPD da companhia.

O time interno cuida da interface entre as software houses e o usuário, mas também atua em algumas manutenções de hardware – as que envolvem dados internos. Todo o resto é terceirizado.

CENTENÁRIA
Primeira vinícola do Brasil a completar 100 anos de história, a Salton é líder na venda de espumantes no mercado brasileiro pelo quinto ano consecutivo, segundo dados próprios.