Parada de São Paulo é um dos maiores eventos do tipo no mundo todo. Foto: .flickr.com/photos/foradoeixo/

Microsoft e Zendesk são patrocinadores da 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que deve reunir 3 milhões de pessoas na avenida Paulista neste domingo, 23.

As duas não são as únicas empresas ligadas ao setor de tecnologia patrocinando o evento, que também tem entre seus apoiadores o Uber, o Mercado Livre e o site de compra e venda de milhas MaxMilhas.

A Microsoft já vem apoiando a parada em São Paulo desde 2016, ano da fundação no país do GLEAM (Gays and Lesbians Employees at Microsoft). 

No mundo inteiro, mais de 2 mil funcionários participam desse grupo e já estiveram presentes em paradas de 41 países.

Já a Zendesk, presente no Brasil desde 2013, está patrocinando o evento pela primeira vez.

"O apoio à diversidade é uma política institucional global da Zendesk. Temos diversos programas de apoio às minorias e fomento à igualdade e estamos felizes de abraçar essa causa também no Brasil", afirma Maíra Gracini, diretora de Marketing da Zendesk para a América Latina.

A exemplo de outras multinacionais de TI, a Zendesk tem um grupo interno de funcionários gays, o Pride. 

Iniciativas de responsabilidade corporativa ligadas ao tema diversidade, estão em alta entre as maiores empresas de tecnologia do país.

SAP e Vivo, por exemplo, fazem parte da Coalizão Empresarial a favor da Equidade Racial e de Gênero, um movimento organizado pelo Instituto Ethos com o objetivo de aumentar a participação de mulheres e negros em cargos executivos de grandes empresas do país.

A SAP conta com programas internos focados em integrar mais mulheres, gays e negros à equipe, o que em alguma medida também está em curso na HPE, Google, Dell, Oracle e IBM.