LGPD

Intervalor investe em segurança de dados

21/07/2021 04:53

Empresa de cobrança combina tecnologia, treinamentos e um seguro de peso.

Stephanie Jerg, CEO da Intervalor.

Tamanho da fonte: -A+A

A Intervalor, uma empresa paulista do setor de cobrança, investiu R$ 2 milhões em tecnologia e treinamento para se adequar à nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Pelo lado de tecnologia, a empresa adquiriu criptografia dos bancos de dados da IBM, uma solução de segurança da Kaspersky para os equipamentos dos 1,3 mil funcionários, além de autenticação de dois fatores da Cisco e prevenção de perda de dados da Forcepoint.

A Intervalor treinou 100% dos seus funcionários sobre o tema segurança de dados, totalizando 2,400 mil horas. O processo teve assistência da consultoria da LGPD Now.

Para fechar o pacote de medidas, a Intervalor comprou um seguro de Responsabilidade Cibernética e Proteção de Dados, pela AIG, no valor de R$ 5 milhões.

A Intervalor também nomeou recentemente a sua gerente jurídica, Vanessa Sanches, como Data Protection Officer, tornando a executiva com 11 anos de casa o ponto focal na empresa para o tema proteção de dados.

“Segundo levantamento feito pela Delloite, 62% das empresas do Brasil ainda não estão adequadas a LGPD e nós temos como compromisso estar à frente, por isso, estamos muito empenhados em fazer o nosso melhor”, afirma Stephanie Jerg, CEO da Intervalor.

A Intervalor tem muitos motivos para tratar o tema proteção de dados com cautela. 

O mais óbvio é o nicho de mercado que a empresa atua, fazendo cobrança de dívidas para outras empresas tanto amigáveis como judiciais, além de processos de análise de crédito, formalização e digitalização de processos jurídicos.

São todas atividades altamente sensíveis, nas quais um vazamento de dados poderia ter sérias consequências junto aos clientes. 

A partir de agosto, entram também em vigor as multas previstas na LGPD, que podem chegar a 2% do faturamento, até um teto de R$ 50 milhões.

Outro motivo é cultural. A Intervalor é parte da Arvato Financial Solutions, uma empresa da Arvato, uma companhia alemã com faturamento de € 4,8 bilhões em 2020, e por sua vez uma das oito divisões da Bertelsmann, uma gigante na área de mídia, dona de um canal de TV e da editora Penguin, entre outros empreendimentos.

A Arvato comprou uma participação de 40% na Intervalor ainda em 2015, subindo a mesma para 81,5% em 2017 e por fim 100% em 2020, sempre sem revelar valores.

O fato da Intervalor ser controlada por uma gigante alemã tem um papel importante no assunto privacidade, porque a Alemanha é um dos líderes mundiais no tema proteção de dados e a legislação europeia GDPR, em vigor desde 2018, é a inspiração da brasileira LGPD.

“A GDPR já norteia a Arvato Financial Solutions, empresa multinacional alemã a qual pertencemos, então, está em nosso DNA o compromisso com a adequação dos nossos sistemas e pessoal”, resume Jerg.

Veja também

RH
Polishop arquiva documentos com Iron Mountain

A plataforma utiliza inteligência artificial e machine learning para classificar conteúdos físicos e digitais.

INFORMAÇÃO
Jota Pro: adequação à LGPD com Dados Legais

A startup carioca tem foco na comunicação entre empresas e titulares de dados.

DADOS
Itaú leva multa de R$ 9,6 mi por privacidade

Ministério da Justiça encontrou problemas na operação de consignado do banco.

LGPD
Farmácias podem pedir seu CPF?

Estabelecimentos precisam explicar de maneira adequada porque estão pedindo a informação.

LÍQUIDOS
Vazamento da Vivo foi um pingo

Operadora revelou que dados de 224 clientes vazaram em 2019 e não 24 milhões.

PROTEÇÃO
Grupo RBS: adequação à LGPD com PrivacyTools

Programa voltado à privacidade de dados também contou com o escritório Baptista Luz Advogados.