Candidata não gostou do Manu, Só Que Não. Foto: flickr.com/photos/manueladavila/

A candidata à prefeitura de Porto Alegre Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) encaminhou na última semana no Tribunal Regional Eleitoral uma notícia-crime, denunciando o site Manu, Só que Não, um Tumblr dedicado a piadas usando a imagem da candidata.

A denúncia feita pelo setor jurídico da candidata documentou casos de injúria e difamação publicados no site, que possui seu domínio dentro do Tumblr, popular site que abriga blogs de todo o mundo.

No diário oficial do TRE, na última terça-feira, 14, foi publicada a solicitação de retirada do blog do ar, após constatar que os posts do site constituem prática criminosa, assinada pelo juiz Eduardo Augusto Bainy, da 112ª zona eleitoral da capital.

"Destes documentos, denota-se haver nítido caráter demeritório, dirigido à candidata Manuela, ultrapassando os limites permissivos, de opiniões inerentes ao mero debate eleitoral, com a vinculação da imagem da candidata ao nazismo, por exemplo, afirmando-a como antisemita", relatou o juiz.

A decisão do juiz foi encaminhada ao Ministério Público Eleitoral, que, conforme a assessoria de Manuela, solicitou junto à Polícia Federal a investigação para identificar os responsáveis pelo site.

Com 61,4 mil seguidores no Twitter contra 4 mil de Adão Villaverde (PT-RS) e 10,1 mil de José Fortunati (PDT-RS), Manuela é a candidata à prefeitura de Porto Alegre com uma presença mais consistente na sua presença nas redes sociais.

Usou o próprio microblog para responder a seguidores que a criticaram pela “censura”.

“Se quisesse censurar, pediria a investigação dos autores. Em oito anos de mandatos, centenas de piadas infames, jamais fiz isso”, afirmou a candidata em um tweet.

Ao ver o link com a postagem no perfil do @baguete, a candidata respondeu lembrando que antes do início da campanha eleitoral foi processada pela Justiça Eleitoral por posts feitos por um perfil fake que usava seu nome. 

"Aquela vez o juiz disse que eu deveria ter comunicado/ noticiado a Justiça e que por negligenciar fui multada. Como usam muitas imagens de terceiros e cometem vários crimes de preconceito, noticiei", resumiu a candidata do PCdoB-RS.

O dono do Tumblr denunciado, que é anônimo, chegou a ser perguntado um visitante, no próprio site, se possui ligação a algum partido rival.

A resposta foi rápida. "Só de zua", afirmou, querendo dizer que o site é para fazer graça com a imagem da candidata. A "organização" por trás do Manu, Só que Não também possui um perfil "de brinks" no Twitter, outra gíria teen para de brincadeira.

Procurado pela reportagem por meio do Twitter, os autores do perfil disseram que "Tumblr não tem lado. Somos contra qualquer tipo de censura", o que não parece coincidir muito com  um grupo de adolescentes. Procurados, os responsáveis pelo site não deram mais detalhes sobre quem são os autores.

TOCANDO O TERROR

Não é de hoje que as redes sociais e sites como o Tumblr são usados como ferramentas de "avacalhar" com personalidades ou veículos de comunicação, sejam eles políticos ou não.

Em 2010, a Folha de S.Paulo conseguiu na Justiça retirar do ar o site de humor Falha de S.Paulo, que fazia sátiras ao tipo de reportagem publicada pelo jornal.

Caso a página fosse mantida, os autores estariam sujeitos a multa diária de R$ 1.000, de acordo com a decisão do juiz da 29ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo.

VIRALIZANDO

Na onda tradicional dos memes de se propagarem, em Canoas uma iniciativa semelhante ao Manu, Só que Não já está no ar. É o Jairo Jorge, Só que Não. Resta saber se o candidato à reeleição pelo PT-RS prefeitura pretende tomar alguma atitude.