Alykham Karim e a equipe do Sonoma. Foto: divulgação.

Uma startup colocou recentemente no ar o o Sonoma, uma espécie de "clubinho" online, comercializando vinhos especiais e exclusivos através da venda privada a associados.

Segundo informa a empresa, o Sonoma foi criado por uma equipe de profissionais de renome na área de enogastronomia e e-commerce. Adotando o modelo de "venda privada," o Sonoma oferece aos seus membros seleções semanais em quantidades limitadas, com preços até 60% abaixo do mercado.

O fundador do Sonoma é o americano Alykhan Karim, 28 anos, que mora no Brasil há dois anos. Um apaixonado por vinhos, Alykhan é formado em Relações Internacionais com especialização em Economia da América Latina.

Impressionado com os valores altos e a dificuldade de acesso a vinhos de qualidade no Brasil, resolveu trazer o novo modelo de comércio eletrônico  para baixar bem as margens, ainda oferecendo aos membros do Sonoma produtos de alta qualidade.

Alykham gerenciou a área de vendas na empresa de e-commerce Oppa. Em São Paulo, o americano associou-se a Edson Barbosa, empresário com experiência também em e-commerce, que anteriormente foi CEO da loja virtual Estação Vinho.

Com um investimento inicial em torno de R$ 600 mil, estruturaram-se para tentar mudar o comércio no mundo do vinho e da gastronomia.

Escolheram o modelo de venda privada, um site com visibilidade apenas para as pessoas cadastradas, onde os produtos são negociados diretamente com as fontes, oferecidos em quantidades limitadas e com preços muito abaixo do mercado.

A cada mês, o site coloca a disposição dos associados uma seleção especial de vinhos, que podem ser encomendadas. A empresa entrega em toda a região sul e sudeste do Brasil, geralmente no prazo de até 5 dias.

Em vez de manter uma loja tradicional comprando de distribuidores, a equipe Sonoma negocia com vinícolas e produtores artesanais e serve como um portal para conectá-los com os membros do site.

Os sócios apostam no sucesso do formato para o comércio online. “Hoje o crescimento de consumo de vinho e produtos gourmet no Brasil é impressionante," analisa Alykhan.

Pesquisando o mercado, observou um crescimento de 13% na venda de vinhos por volume (2010/2011) no Brasil, com um faturamento aumentando 19,6%, o que torna investimentos na área de vinhos no Brasil muito atraente.

Segundo Alykhan, também expressiva é a expectativa de crescimento do e-commerce para 2011-2012 de 33.6%, para uma quantidade de internautas de 82.4 milhões de pessoas no Brasil.

A empresa começou suas atividades em 1 de julho e no final do mês já contava com 35 mil cadastros no site e quase 100 mil amigos no facebook, principalmente pela divulgação boca a boca. “Já tivemos clientes comprando 5 vezes no primeiro mês, já á se tornaram VIP, nunca mais vão pagar custo de frete nas entregas”, destaca o fundador do Sonoma.

A expectativa de faturamento em 2012 para as atividades do Sonoma é de R$1.500.000,00.

PARA GREGOS E TROIANOS

No quesito de oferta de produtos, a equipe do Sonoma promete ser extremamente rigorosa na seleção dos vinhos oferecidos e produtos gourmets. Os produtos são avaliados e escolhidos pela equipe de curadores com 3 critérios básicos: qualidade; relação custo x benefício e a resposta positiva para uma pergunta simples: “Eu teria esse produto em minha casa?”.  

Segundo os sócios do Sonoma, o objetivo do site é atrair diferentes públicos para estes produtos especiais: "O Sonoma quer ajudar a ambos, novato e conhecedor, a navegar neste mundo", explica Edson Barbosa.

Para realizar essa missão, além das boas ofertas, o Sonoma também cria conteúdo de alta qualidade, escrito por jornalistas especializados na área, num estilo mais descontraído para os leitores. “Escrevemos como se fossemos um "amigo" descrevendo um vinho”, comenta Jô Barros. “Os amigos costumam passar confiança e credibilidade nas suas dicas e é exatamente isso que queremos ser para nossos clientes”, conclui.

CERVEJA TAMBÉM VAI?

Se para o vinho existe o Sonoma, para os amantes de uma boa cerveja, uma iniciativa semelhante é a startup gaúcha Have a Nice Beer, que oferece o mesmo formato de vendas.

Nascido a partir de uma idéia dos amigos Rafael Borges, Pedro Meneghetti e Rodrigo Szteltzer, três apaixonados pela bebida à base de cevada, o site atualmente conta com 3,8 mil associados.

A previsão de crescimento é de 10% ao mês, chegando a aproximadamente 7 mil assinantes no fim de 2012.

Com início oficial em junho de 2011, a empresa faturou R$ 280 mil no ano passado, R$ 910 mil no primeiro semestre de 2012 e projeta superar os R$ 3 milhões até dezembro.