Procempa é o centro de uma crise política.

O PTB divulgou uma nota retirando a indicação de Cristiano Candaten para a presidência da Procempa nesta quarta-feira, 21.

A saída do partido do comando da estatal foi acertada entre o prefeito José Fortunati e o presidente do PTB de Porto Alegre, Maurício Dziedricki. O partido comandava a Procempa desde 2005.

Candaten, ex-secretário da Educação e do Meio Ambiente de Passo Fundo, chegou a ser confirmado por Fortunati como o sucessor de André Imar Kulczynski, outro quadro do PTB que renunciou em meio a uma série de denúncias de má gestão na empresa que começaram em junho.

Com os últimos desdobramentos da crise, a posse de Candaten ficou inviável politicamente.

A oposição – com apoio de três vereadores da base aliada de Fortunati - conseguiu fazer da situação da Procempa o alvo de CPI a ser iniciada em setembro, depois que o Ministério Público aprendeu documentos nas casas de Kulczynski e de Claudio Manfrói, ex-conselheiro da empresa.

Manfrói, um dirigente influente do PTB que chegou a ser secretário geral do partido no estado e suplemente do senador Sérgio Zambiazi, chegou a ser levado ao Presídio Central depois que os investigadores encontraram uma pistola .44 de uso restrito pelas Forças Armadas e uma .38 com a documentação vencida na sua casa.

Na casa de Kulczynski, um pacote com R$ 46 mil foi arremessado de uma janela para o pátio momento antes da entrada dos representantes do MP.  

Ambos incidentes contribuíram para impossibilitar a permanência do PTB à frente da estatal, que até agora não havia sido contestada.

Até a escolha do novo presidente, a Procempa segue sendo comandada pelo interino Maurício Gomes da Cunha.