A Paschoalotto tem 102 clientes e uma base de dados de quase 60 milhões de pessoas. Foto: Divulgação.

A Paschoalotto, empresa de call center voltada para cobrança, contratou uma solução da VMware para ajudar na automação dos sistemas e reestruturar seus processos internos. 

A companhia tem 102 clientes e uma base de dados de quase 60 milhões de pessoas, com uma equipe de 7,5 mil profissionais que fazem mais de 1 milhão de contatos por dia. 

O desafio da empresa, além do volume de dados em excesso, estava relacionado a novos clientes.

Quando uma nova empresa contratava a Paschoalotto, todo o seu sistema era criado pelos próprios funcionários, o que os impedia de aceitar novas demandas por um tempo. Para uma empresa de telecobrança, tempo é fundamental para não perder a chance de realizar ligações.

Com a solução de mobilidade, a criação de novos ambientes foi reduzida de 40 para dois dias. Além disso, há visibilidade maior de todo o sistema, o que informa se alguma máquina vai falhar ou se vai haver aumento de demanda.

Além disso, para extrair uma informação no modelo anterior era preciso passar por três camadas de bloqueio. Hoje, para ter acesso é preciso apenas entrar no sistema da VMware. 

"A VMware foi uma peça fundamental para desenvolvermos novas plataformas de pagamento que expõem menos o cliente, os deixando mais confortáveis para renegociarem suas dívidas. Desde que começamos a implementar esses projetos, temos visto um retorno muito interessante das pessoas, que se sentem menos intimidadas negociando com máquinas, por exemplo", afirma Eric Garmes, sócio fundador da Paschoalotto.

As soluções da VMware possibilitaram à empresa criar ambientes de testes antes de colocar o serviço em prática. Com isso, foram criadas ferramentas como o Pagou Fácil, sistema digital de negociação. 

“A gente fez um roadmap junto com a VMware para implementação dos produtos e conseguimos ver qual deles ajudaria mais ao nosso cliente. Isto só foi possível por causa do alinhamento entre os benefícios das soluções da VMware e as necessidades da Paschoalotto", finaliza Garmes.