CLIENTES

Omie: ERP de graça até dezembro

21/08/2020 10:14

Companhia está preparada para deixar de ganhar R$ 12 milhões com a jogada.

Marcelo Lombardo.

Tamanho da fonte: -A+A

A Omie, companhia de software de gestão na nuvem, não vai cobrar mensalidades de novos clientes até dezembro, em um movimento no qual está preparada para deixar de arrecadar até R$ 12 milhões.

A oferta vale para empresas que faturem até R$ 1 milhão por ano e que já utilizem outro ERP.

A Omie não chega a revelar qual é a mensalidade, ou quantas clientes ela pretende migrar da concorrência com a estratégia, que a companhia está anunciando como a “primeira Portabilidade de ERP do Brasil".

Em abril, a Omie anunciou uma mudança de curso, deixando de lado o foco em pequenas empresas e colocando no foco clientes com faturamento entre R$ 10 milhões e R$ 200 milhões ao ano. 

O resultado veio rápido. Em fevereiro de 2020, empresas de menor porte compunham 97% dos novos clientes, contra 3% de médias e grandes, mas em junho a proporção já tomou outro aspecto: as novas vendas já são 72% versus 28%, respectivamente.

Em nota divulgada para imprensa, a Omie compara o tempo de implantação do seu ERP, ao redor de duas semanas, com o de empresas como Totvs, Linx e SAP, que podem levar de seis meses a um ano.

A comparação é um pouco forçada pela parte da Omie, uma vez que ela está comparando seu produto só com uma parte da oferta dos concorrentes.

Certamente Totvs, Linx e SAP fazem projetos de um ano de duração, mas eles acontecem em clientes que estão entre os maiores que a Omie pretende atender ou até muito maiores do que isso.

Para clientes na base da pirâmide, as três empresas (e diversos outros players de ERP) tem ofertas pré-configuradas, na nuvem e de implementação simplificada.

Entre outras vantagens que a Omie destaca na sua oferta, estão o fato de ter licenças sem limite de número de usuários, o que pode ser uma vantagem para empresas maiores, ou o fato de não cobrar por atualizações.

Seja como for, o público escolhido para a ação da Omie (empresas abaixo de R$ 1 milhão) parece algo contraditório com o seu novo foco, o que é explicado de maneira algo confusa na nota da empresa.

“A empresa quer aproveitar o bom momento de vendas para empresas maiores e também potencializar sua dominância em pequenas empresas, ao mesmo tempo que ajuda as PMEs a passarem por esse momento difícil”, afirma a Omie.

Lançada por Marcelo Lombardo, fundador da NewAge Software, uma empresa de software de gestão vendida para a Toutatis Global em 2013, a Omie se tornou um dos destaques na nova leva de companhias de ERP na nuvem, junto com a concorrente ContaAzul.

Ainda em 2019, a Omie levantou R$ 80 milhões do fundo americano Riverwood Capital, que já investiu em empresas como 99, Mandic e VTex. Em setembro de 2018, outros R$ 25 milhões vieram do fundo Astella.

Em abril, em meio aos dias mais confusos da pandemia do coronavírus, a Omie anunciou a sua grande "pivotagem", junto com a demissão de 134 funcionários, cerca de um terço do total.

Pelo visto, a companhia ainda está se encontrando no novo mercado.

Veja também

VOLTA
Fundador da Folhamatic tem nova empresa

Maurício Frizzarin projeta investir R$ 100 milhões até o final de 2021.

ELEVE
Totvs ataca mercado de startups de ERP

Nova oferta da gigante parece focada em competir com Omie, ContaAzul e Contabilizei.

PIVOTOU
Omie: corte e virada de rumo

Companhia de ERP na nuvem corta um terço do time e agora foca em clientes maiores.

MÉTODOS
Agilismo pode ajudar no home office

Dos 12 princípios ágeis, podemos falar de cinco bem úteis para produtividade no trabalho remoto.

VOLTA
Qyon faz primeira compra

Nova empresa do fundador da Folhamatic adquire empresa de tecnologia fiscal.

ERP
Widepartner compra Cora

Portugueses compram parceria da Sage no Brasil de olho no mercado X3.

BELEZA
Natura aposta na Singu

Multinacional poderá adquirir até 100% da startup especializada em serviços de beleza a domicílio.

ATENDIMENTO
Localiza tem chatbot no Google com Take

Por meio do Google Maps, usuários podem fazer reservas, perguntas e pedir orientações para a locadora.