Brasil redução média de 20,2% no custo da energia para o setor industrial. Foto: flickr.com/photos/ledesigngroup

Com o anúncio de redução dos custos de energia a partir de 2013 realizado pelo governo na última quarta, 19, o setor de TI, inclusive de datacenters, pode ganhar um novo estímulo, segundo prevê a Brasscom.

De acordo com Nelson Wortsman, diretor de infraestrutura e convergência digital da associação, o setor de datacenters está otimista. Segundo a associação, cerca de 35% dos gastos em datacenters são com energia.

"A medida pode impactar a sociedade, tendo em vista que o Brasil é a economia mais importante da América Latina e a primeira opção na instalação de data centers”, destaca.

Segundo a British Telecom, que tem recentes investimentos em datacenters na América Latina, inclusive no Brasil, a medida resultará em novos investimentos.

“Enxergamos isso com bons olhos, porque temos visto muitos planos de investimentos dentro do PAC, principalmente em infraestrutura, e esse tipo de ação é um exemplo disso”, afirma Marcelo Leite, diretor de produtos para a América Latina da BT.

CUSTOS

Segundo a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), atualmente o empresário brasileiro paga R$ 329 por MWh (Megawatt-hora) consumido.

Em comparação, potências industriais como os países do BRICS (China, Índia e Rússia), que pagam uma média de R$ 140. Até mesmo os vizinhos, Argentina e Uruguai, pagam menos por sua energia, com uma média de R$ 197,50. No Paraguai, o custo é de apenas R$ 87 por MWh.

Com a redução média de 20,2% no custo da energia para o setor, o Brasil subirá para a 21ª colocação (R$ 264,50/MWh) no ranking, ultrapassando México, El Salvador, Cingapura e Chile, que recentemente foi escolhido pelo Google para receber o primeiro datacenter da empresa na América Latina.

No Chile, por exemplo, o setor de energia elétrica não possui oneração fiscal por parte do governo. Segundo a Firjan, encargos e tributos respondem por 48,6% da tarifa industrial no Brasil.