O Google firmou um acordo para comprar a divisão Pixel, da taiwanesa HTC, por US$ 1,1 bilhão. Foto: Divulgação.

O Google firmou um acordo para comprar a divisão Pixel, da taiwanesa HTC, por US$ 1,1 bilhão. Com isso, a companhia expande sua operação de fabricação de smartphones.

A negociação envolve a transferência de aproximadamente 2 mil funcionários da HTC para o Google. O número representa cerca de 20% da equipe da empresa de Taiwan.

De acordo com o Financial Times, as empresas também assinaram um contrato de licença não exclusivo para a propriedade intelectual da HTC, cujos termos não foram divulgados.

"Este acordo é um brilhante passo em nossa parceria de longa data, permitindo que o Google superpasse seus negócios de hardware e assegure a inovação contínua no nosso smartphone HTC e negócios de realidade virtual VIVE", afirma Cher Wang, co-fundador e presidente da HTC.

O Google criou sua própria divisão de hardware no ano passado e lançou o Pixel, o primeiro smartphone a contar apenas com a marca do Google e a ser projetado internamente. A empresa contratou a HTC como fabricante para o telefone, estendendo uma parceria de que começou em 2008, quando a companhia taiwanesa fez o dispositivo com sistema operacional Android.

Hoje, muitos dos funcionários da HTC envolvidos na transação já estão trabalhando com o Google no desenvolvimento dos smartphones Pixel.

Para o FT, o aumento do foco do Google na fabricação de smartphones também pode fornecer uma cobertura mais forte contra a forte dependência da companhia na Samsung, que se tornou a fornecedora dominante de smartphones high-end usando o sistema operacional Android.

Além de ser a única empresa que consegue competir com a Apple hoje, a Samsung pode deixar o Google exposto caso avance no plano de criação de um ecossistema rival de software e serviços. 

Os smartphones Pixel, lançados há apenas um ano, têm menos de 1% de participação de mercado globalmente, com estimativa de 2,8 milhões de dispositivo vendidos, de acordo com a IDC.