Rodrigo Silva.

A Engineering, uma consultoria de TI com forte atuação em SAP e soluções fiscais, está apostando na introdução de metodologias ágeis na sua operação brasileira.

Para tanto, a empresa acaba de contratar Rodrigo Silva, ex-gerente de TI da Laureate, para liderar um centro de excelência.

O LACE (Lean-Agile Center of Excellence) tem o propósito de promover mudanças organizacionais e impulsionar a adoção de metodologias ágeis em toda a empresa.

Silva veio da operação brasileira da Laureate, dona de diversas grandes universidades no país, onde era o responsável pelo gerenciamento de projetos usando metodologias ágeis.

O profissional também foi gerente de projetos na área de TI na Thomson Reuters, Natura e Sony.

“O objetivo do LACE é estimular a capacidade ágil da Engineering de se adaptar rapidamente ao mercado e ao ambiente para entregar produtos e serviços contínuos e com o máximo de valor e qualidade”, explica Silva.

Com mais de 150 empresas atendidas no Brasil, a Engineering é uma multinacional italiana com presença no país desde 2008. 

A empresa tem mais de 600 funcionários nos escritórios de Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Santo André e Vitória, além de uma filial em Buenos Aires.

A adoção de métodos ágeis em projetos corporativos com tecnologias como SAP, um fato relativamente raro uma década atrás, parece estar se tornando cada dia mais um padrão de mercado.

Um exemplo é a Meta, uma empresa baseada no Rio Grande do Sul que atua num mercado similar à da Engineering, que em 2019 se tornou parceira no país da Scaled Agile, companhia americana que é a criadora do Scaled Agile Framework.

Conhecido pela sigla SAFe, o framework é um dos conjuntos de padrões mais populares para implementação de práticas de lean e agile em nível empresarial. 

A companhia vem apostando em métodos ágeis faz alguns anos, sendo ela mesma um case de transformação: em 2017, a empresa “virou o fio” e passou a entregar mais da metade dos seus projetos de desenvolvimento usando práticas ágeis.