Alain Monié. Foto: divulgação.

A Ingram Micro anunciou na noite desta terça-feira, 20, a aquisição do Grupo Ação, uma das maiores empresas brasileiras do segmento de distribuição de TI, por um valor não divulgado.

Com operações no Brasil, Colômbia, Chile, Peru, Uruguai e Equador, a Ação tem em seu portfólio marcas como IBM, Oracle, Red Hat, EMC, HP Enterprise e VMware. Com a aquisição, a Ingram espera aumentar seu faturamento global em cerca de US$ 300 milhões anuais.

A transação, que está sujeita às habituais condições regulatórias e outras premissas de fechamento, deve ser concluída no final do quarto trimestre de 2015. A empresa, que não revela resultados regionais, tem um faturamento anual na faixa do US$ 43 bilhòes.

Segundo destacou a empresa norte-americana em comunicado, os principais líderes da Ação concordaram em se unir à Ingram Micro para o processo de integração e a condução da companhia dentro da operação da Ingram.

Para o CEO da Ingram Micro, Alain Monié, a compra da Ação chega como um "complemento perfeito" para o ritmo de crescimento dos negócios da multinacional na região.

“A Ingram Micro tem sido extremamente bem sucedida na rápida expansão de seus negócios de alto valor na América Latina, em especial no Brasil, onde já se estabeleceu como um dos distribuidores líderes de tecnologia e tem conquistado fortes taxas de crescimento de dois dígitos em moeda local por vários trimestres", avalia o CEO.

Segundo o executivo, o plano com o novo alinhamento é de identificar oportunidades significativas de cross-seling nos países em que as duas empresas tem operações, expandindo o portfólio de ofertas de alto valor.

“A Ingram Micro é a parceira perfeita para nos ajudar dar continuidade ao crescimento de negócios de alto valor na América Latina. Juntos poderemos acelerar ainda mais o grande desempenho que nossas empresas individuais têm proporcionado aos clientes", completa Enio Issa, presidente do Grupo Ação.

No Brasil desde 1997, a Ingram Micro oferece produtos e soluções de 50 fabricantes no modelo de VAD, VOD, mobilidade, automação e a nova unidade de cloud criada no primeiro semestre deste ano. Com sede administrativa em Barueri, a empresa tem centros de distribuição em Barueri em Serra (ES), assim como escritório comercial e centro de treinamento em Belo Horizonte.

Presente em todo o território nacional, com sede em São Paulo e filiais em Porto Alegre, Rio de Janeiro e Brasília, o grupo Ação opera em sete países: Brasil, por meio da Ação Informática, e Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Uruguai, por meio da AKTIO.

Ao todo são mais de 300 colaboradores. Em 2014, a Ação faturou R$ 1,2 bilhão, uma alta de 23% frente aos resultados do ano anterior.

A compra do Grupo Ação pela Ingram é mais um indício de um provável processo de consolidação no mercado brasileiro de distribuição de TI, puxado por grandes multinacionais comprando distribuidoras locais para aumentar sua presença local.

No ano passado, a norte-americana ScanSource comprou a distribuidora Network1, em um negócio de R$ 70 milhões. Pouco tempo depois, a inglesa Arrow anunciou sua chegada ao Brasil com a aquisição da CNT Brasil por um valor não divulgado.

A aceleração dos grupos internacionais para atacar o mercado nacional vem em paralelo a um momento de estagnação do setor. Um exemplo é o da Officer, que oficializou pedido de recuperação financeira na última semana, após registrar um endividamento líquido de R$ 148,3 milhões no final do primeiro semestre de 2015 e um prejuízo acumulado de R$ 21 milhões no período.

Segundo dados da Associação Brasileira dos Distribuidores de Tecnologia da Informação (Abradisti), 2014 teve um faturamento estimado em R$ 12,6 bilhões, queda de 5% em relação ao valor de R$ 13,3 bilhões registrado no ano passado.

Entretanto, para as empresas estrangeiras, o período de baixa parece ser o momento ideal de investir no país, preparando o terreno para uma consolidação futura do setor e uma possível retomada do crescimento.