Paulo de Tarso, vice-presidente de Inovação & Negócios da Kroton. Foto: Divulgação.

A Kroton adquiriu a startup Studiare por R$ 4,1 milhões. A estrutura original da startup será mantida e relacionada à vice-presidência de Inovação & Negócios da Kroton.

“Vamos manter a estrutura da Studiare, com os dois fundadores e quatro colaboradores presentes antes da aquisição. Essa decisão garantirá a liberdade criativa e a autonomia dos funcionários, preservando o empreendedorismo da equipe”, afirma o vice-presidente de Inovação & Negócios da Kroton, Paulo de Tarso.

Segundo ele, a organização pretende manter a base da startup no escritório atual, localizado no Rio de Janeiro. 

A Studiare é focada em sistemas de adaptive learning, ferramentas de gamefication, big data, data minining, analytics, blended learning, estímulos adaptativos e o método chamado de teoria de resposta ao item (TRI). 

Essa foi a primeira aquisição de uma startup por parte da Kroton. Nos últimos anos, a organização comprou outras instituições de ensino no Brasil, como a Anhanguera, adquirida pelo grupo em abril de 2013.

A Kroton já tem programas em andamento há dois anos com a Studiare, como o Desafio Nota Máxima e a Trilha do Enem. Com o fechamento do negócio, novas ações serão desenvolvidas.

“Queremos acelerar nossos processos internos de ensino adaptativo e, ainda, de outras importantes soluções. A princípio, o foco maior será na sinergia que essa ferramenta trará na gestão acadêmica e de resultados do grupo, não apenas na graduação, mas em outras unidades de ensino, como a educação básica”, explica de Tarso.

Segundo ele, a Studiare possui atualmente contratos com outros players do setor, mas a Kroton não abre informações sobre os clientes.

“A startup tem um potencial tecnológico diferenciado, executando software web e aplicativos que utilizam algoritmos matemáticos de ponta para aumentar a performance dos alunos. A integração com a Kroton proporcionará grande valor ao aliar esta capacidade e agilidade em construir tecnologia e software de ponta à expertise única em educação e gestão da Kroton”, afirma o CEO da Studiare, Felipe Mattos.

A Kroton está há quase 50 anos no mercado. Na educação básica, a empresa atua com a Rede Pitágoras, que fornece sistemas de ensino a 245 mil alunos, de 713 escolas associadas, compreendendo material didático, treinamento, avaliação e tecnologia educacional. 

No ensino superior são mais de 1 milhão de alunos matriculados nas 130 unidades do grupo e mais de 726 polos de educação a distância nas instituições Anhanguera, Fama, Pitágoras, Uniasselvi, Unic, Uniderp, Unime, Unirondon e Unopar. 

Em 2014 a Kroton teve um lucro de R$ 1 bilhão, crescimento de 93,8% sobre o contabilizado no ano anterior, resultado direto das receitas provenientes das novas aquisições. A receita do grupo no ano foi de R$ 3,77 bilhões, 87,2% maior do que em 2013.