Usina iniciou suas atividades em 2007 e conta com 2,3 mil colaboradores. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Usina Lins, empresa do setor de açúcar e etanol localizada no interior de São Paulo, adotou as soluções SD-WAN e Workspace da Citrix com projeto da integradora LGTi.

Cliente da Citrix há mais de dez anos, a Usina já utilizava os serviços da empresa para manter um sistema integrado entre suas localidades mas, em 2019, deparou-se com a cisão das operações e uma mudança no modelo de negócios. 

Anteriormente, a Lins operava conectada ao antigo data center. Com a cisão, surgiu a necessidade de criar um modelo independente com um datacenter na cidade de Ribeirão Preto, São Paulo.

No projeto, o acelerador de SD-WAN passou a conectar o datacenter de Ribeirão Preto com a Usina Lins, a 300 quilômetros de distância, provendo uma via de informações entre os setores do backoffice e o time que está em campo na usina.

Com um plano de continuidade de negócios definido previamente, as operações do ambiente de TI separado começaram a operar de forma independente no início de março deste ano.

Segundo a empresa, todo o plano de observar as regras da OMS seguiu tranquilamente e a Usina Lins possibilitou que todos funcionários administrativos trabalhassem de casa com o desktop remoto, sem perda de performance ou risco à segurança dos dados.

“A empresa já estava preparada para o teletrabalho, o que facilitou muito o processo de migração. Colocamos em funcionamento mais um servidor a fim de atender a demanda de desempenho e pudemos seguir tranquilos com as atividades, reforçando a eficiência do nosso plano de continuidade dos negócios”, conta Francisco Silveira Junior, gerente de TI da Usina Lins.

Atualmente, a usina já começa a pensar na volta ao escritório, mas com boa parte da equipe ainda na modalidade remota.

“A implementação do projeto, que permitiu a continuidade dos trabalhos da Usina Lins sem nenhum registro de paralisação durante todo o processo, ocorreu em questão de dias. É uma enorme satisfação para nós da LGTi podermos contribuir para o sucesso dos negócios dos nossos clientes”, afirma Danilo Garcia, CEO da LGTi.

Todo sistema da Usina roda em Citrix, desde o software para ensacamento de açúcar até o ERP da SAP, passando por softwares da Totvs, planejamento de colheita e plantio da iLab.

“A Usina Lins é um exemplo de empresa que investe na tecnologia como uma parte do negócio e colhe os benefícios de seu plano de continuidade de negócios. Estou certa de que a parceria entre Citrix e Usina Lins tem a combinação perfeita para durar outras décadas”, aposta Luciana Pinheiro, diretora da Citrix Brasil.

A americana Citrix foi criada em 1989 e tem 400 mil organizações como clientes, incluindo 99% das empresas da Fortune 100 e 98% das empresas da Fortune 500.

Com sede em Ribeirão Preto, a LGTi foi fundada em 2007 e já realizou mais de 700 projetos em cloud computing, infraestrutura hiperconvergente, serviços gerenciados e mobilidade corporativa.

A Usina Lins também iniciou suas atividades em 2007 e conta com 2,3 mil colaboradores. Na Safra 2020/2021, a empresa deve atingir uma capacidade de moagem de 4,15 milhões de toneladas de cana-de-açúcar após mais de R$ 300 milhões investidos na companhia.