Tem uma vaguinha aí? Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Estapar está usando a nuvem Azure da Microsoft para rodar o aplicativo da Zona Azul, com o qual é possível pagar pelo tempo de uso em 51 mil vagas de estacionamento nas ruas de São Paulo.

Atualmente, as soluções utilizadas pela Estapar são as máquinas virtuais, bancos de dados (SQL e Cosmos DB), storage e backup, firewall e app services.

Além disso, a companhia também está utilizando outros recursos da nuvem para análise de dados e geração de insights. 

O app é uma novidade da Estapar, lançada depois que a companhia ganhou a licitação para administração da Zona Azul em São Paulo no final de 2020.

Até então, as vagas eram geridas por 13 empresas diferentes. A Estapar topou pagar R$ 1,3 bilhão, mais um percentual do faturamento, para administrar tudo pelos próximos 15 anos.

O app já conta com milhões de usuários e tem 8 mil downloads por dia.

O aplicativo permite, por exemplo, que o usuário visualize, em tempo real, o status de ocupação das vagas. 

Com isso, o motorista não perde tempo rodando com seu veículo e se dirige diretamente ao local planejado, podendo comprar também os créditos para pagar o estacionamento direto no app (a hora custa R$ 5 em São Paulo).

“Ao optarmos por construir a plataforma na nuvem, a primeira coisa que percebemos foi a estabilidade. A capacidade de suporte dos nossos sistemas nos traz a confiança de que os nossos dados estão em um ambiente que pode rodar as aplicações sem erros ou tempo de inatividade”, conta André Iasi, CEO da Estapar.

A Estapar é a maior rede de estacionamentos do Brasil, presente em 77 cidades situadas em 15 estados brasileiros, além do Distrito Federal. Ao todo, são 400 mil vagas em aproximadamente 700 estacionamentos. 

Na área de estacionamento rotativo, incluindo a cidade de São Paulo, a Estapar administra 20 operações de Zona Azul Digital no país em São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Santa Catarina.