A empresa também forneceu uma rede para controle de sistemas auxiliares. Foto: Opra/Shutterstock.com

A Usina Hidrelétrica de Samuel (UHE) realizou um projeto de automação, que foi desenvolvido pela Altus, de São Leopoldo.

A usina fica no leito do Rio Jamari, um dos afluentes do Rio Amazonas, que forma a maior bacia hidrogáfica do mundo.

Localizada entre a cidade de Porto Velho e o Parque Nacional dos Campos Amazônicos, em Rondônia, a hidrelétrica, que pertence à Eletrobras, possui um dique de 45 km de extensão entre seus leitos e é responsável por abastecer mais de 90% dos 52 municípios do estado.

Com construção iniciada em 1981, a usina passou, recentemente, por um processo de modernização dos sistemas de automação e controle de processos. 

O projeto aplicado pela Altus englobou a reestruturação dos sistemas de proteção, controle e supervisão das Unidades Geradoras 01 a 05, assim como dos serviços auxiliares da planta.

Para essa demanda, a empresa desenvolveu uma solução para substituir o sistema de proteção, controle e supervisão existente na usina, por um totalmente digital e com possibilidade de ser supervisionado e comandado externamente através de um Centro de Operação Remoto.

Utilizando o software supervisório SCADA/HMI BluePlant e as Unidades Terminais Remotas (UTRs) da Série Hadron Xtorm, o sistema redundante de mais de 5 mil pontos, conectados através de rede Ethernet, utilizando o protocolo DNP3 e outros previstos na norma IEC 61850, compreende cinco unidades de proteção principal e secundária, cinco unidades de controle das unidades geradoras, uma unidade de controle dos serviços auxiliares, servidores, estações de operação e engenharia, projeto executivo, desmontagem, montagem e comissionamento.

Além do projeto principal de automação, a empresa também forneceu uma rede para controle de sistemas auxiliares. 

Dividida em duas unidades, a arquitetura é responsável pela operação de áreas adjacentes da planta, pelas bombas do sistema de drenagem, sistema de CO2, auxiliares elétricos e mecânicos. 

A solução também possui uma unidade com capacidade de gerenciamento remoto. 

Fixada em uma casa de máquinas no meio da planta industrial, ela coleta as informações dos equipamentos de campo e as envia para análise no sistema central.

A receita de vendas da Altus no terceiro semestre de 2014 ficou em R$ 23,9 milhões. No mesmo trimestre do ano passado, o resultado havia ficado em R$ 17,4 milhões.