Diogo Jardim e Ubirakitan Maciel, CTO e CEO da NeuroUp. Foto: Luisa Maciel.

A NeuroUp, startup de Recife, acaba de receber um aporte de 2,5 milhões do Criatec 3, fundo gerido pela Inseed Investimentos e criado pelo BNDES. 

A empresa desenvolveu um dispositivo que pode ser acoplado ao corpo e se comunica com um aplicativo para celular.

Os sensores captam a informação oferecida pelo corpo e a devolve em tempo real. Assim, é possível identificar o nível de tensão corporal e trabalhar técnicas que ajudam a reduzi-la.

Criada em 2014, startup tem como sócios Ubirakitan Maciel, CEO, e Diogo Jardim, CTO. A sede fica no Porto Digital, em Recife, um dos principais polos de inovação do país.

“Controlar a tensão dos músculos é uma capacidade que poucas pessoas possuem, principalmente as que apresentam dores crônicas ou que vivem em situações de estresse. Portanto, o treinamento com o biofeedback pode beneficiar as pessoas com dificuldade para relaxar por vontade própria”, explica Ubirakitan Maciel, co-fundador e diretor executivo da NeuroUp.

Com o aporte, a empresa pretende fortalecer a área comercial, adquirir escala e buscar a internacionalização. 

Trata-se do primeiro aporte do Fundo Criatec 3 na Região Nordeste e, segundo a Inseed investimentos, a NeuroUp foi selecionada por ter um potencial de alcance global.

"A empresa conseguiu transformar um conhecimento profundo, na área de neurodinâmica, em um produto que cuida de um problema a nível mundial: as dores crônicas", afirma Gustavo Junqueira, CEO da Inseed Investimentos.

A tecnologia também pode ser usada em exercícios, pois o sistema indica o nível de contração muscular através da gamificação.

O participante do treinamento se posiciona em frente à tela de um celular ou tablet e passa a interagir com gráficos visuais ou auditivos. Quando ele contrai, obtém resposta negativa. Quando consegue relaxar, há resposta positiva. 

Assim, o participante, de acordo com a startup, aprende a relaxar. São realizadas de uma a duas sessões por semana, com cerca de 20 minutos. 

O Fundo Criatec 3 já fez mais de 18 investimentos em diversos setores como agronegócio, energia, varejo e TI. Conta com mais dez cotistas além do BNDES.

São bancos de desenvolvimento, agências de fomento estaduais, corporações e investidores privados de todo o país. 

No Nordeste, Região onde a NeuroUp está localizada, o cotista é o Banco do Nordeste (BNB).

A Inseed, gestora do Fundo Criatec 3, faz a gestão de três fundos com R$ 485 milhões de capital comprometido e já realizou mais de 67 investimentos em diferentes áreas de conhecimento e aplicações mercadológicas.