Luís da Cunha Lamb, pró-reitor de Pesquisa da UFRGS.

Luís da Cunha Lamb, pró-reitor de Pesquisa da UFRGS, será o titular da secretaria da Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul do novo governo Eduardo Leite (PSDB).

O nome foi anunciado nesta sexta-feira, 21. Com a medida, a secretaria de C&T volta a existir, depois de ter sido fundida com a de Desenvolvimento pelo governador José Ivo Sartori (PMDB) em 2015.

Em meio ao panorama de crise fiscal no estado, a política para a área de ciência sumiu do mapa.

Lamb é um nome conhecido na comunidade acadêmica gaúcha, tendo assumido o comando da pesquisa na UFRGS em setembro de 2016.

O pesquisador é um “prata da casa” na UFRGS, tendo sido o primeiro graduado do curso de Informática da instituição a assumir o comando do Instituto de Informática, ainda em 2011.

Antes, foi vice-presidente por cinco anos. Egressos do Instituto já fundaram mais de 100 empresas, algumas delas entre as maiores do segmento de TI do Rio Grande do Sul.

Lamb é professor titular da UFRGS e tem mestrado em computação pela UFRGS e PhD pelo Imperial College London.

A secretaria de Ciência e Tecnologia foi criada em 1995, e, na maior parte do tempo é ocupada por políticos, muitas vezes como prêmio de consolação. 

A média de permanência dos secretários à frente da pasta é de apenas 14 meses, o que, para uma pessoa pouco familiarizada com a área, significa ter tempo de conhecer algo do jargão, fazer algumas reuniões e partir.

Lamb é um dos casos recentes de secretários oriundos da área e ciência e tecnologia a assumirem a pasta. O outro é o de Cléber Prodanov, que era pró-reitor de Pesquisa e Inovação da Feevale quando foi convidado para o cargo no governo Tarso Genro (PT).

Prodanov foi uma exceção à regra e permaneceu na pasta durante todo o governo, entre 2011 e 2015. Depois de sair, voltou à Feevale, onde assumiu o cargo de reitor em maio de 2018.

A secretaria de Ciência e Tecnologia tem um orçamento pequeno, dependendo para o seu sucesso da capacidade do comando em buscar verbas e articular as instituições de ensino e pesquisa do estado.

Lamb assume em um momento em que as universidades do estado estão em alta, tendo participado diretamente de um alinhamento inédito entre UFRGS, Unisinos e PUC-RS para promover o ecossistema de inovação em Porto Alegre.