Fielder Hiss. Foto: Flickr.com/solidworks

A Solidworks apresentou um novo software de design nesta segunda-feira, 21, durante a abertura do Solidworks World 2013, evento mundial da empresa que acontece em Orlando, nos Estados Unidos.

O Solidworks Mechanical Conceptual, como o nome descreve, é um software de CAD focado na fase de design conceitual na qual as empresas ainda estão explorando possibilidades e necessitam um grau de flexibilidade tradicionalmente atendido pelo habitual desenho em prancheta – ou num guardanapo, dependendo do local.

A novidade deve estar disponível para clientes em fase de teste em maio e começar a ser oferecida no mercado em novembro ou outubro.

Além de uma interface simplificada em relação ao produto tradicional, o Solidworks Mechanical Conceptual funciona na nuvem, oferecendo diversas funcionalidades de compartilhamento de conteúdo, um repositório de arquivos único e acesso em plataformas móveis.

“Até agora o mundo da engenharia vinha dando as costas para as novas tendências em computação e as mídias sociais”, afirma Fielder Hiss, vice presidente de gerenciamento de produto da Solidworks, para quem a mudança em curso é equivalente à migração dos sistemas de CAD para plataforma baixa, no começo dos anos 90.

A novidade roda na plataforma V6 da Dassault Systemes, gigante francesa que controla a SolidWorks, mas o fluxo de dados está integrado com o software de CAD tradicional da empresa americana, cujo kernel é o Parasolid, da Siemens.

O lançamento de um software na nuvem e baseado no V6 vinha sendo esperado há dois anos – executivos da Solidworks admitem nos bastidores que a empresa se precipitou ao anunciar a movimentação– tempo durante o qual a concorrentes como a PTC e a Siemens PLM atacaram afirmando que a novidade significaria o fim do produto baseado no Parasolid e uma traumática migração para a base de usuários.

Nada mais longe da verdade, como não perde a chance de reafirmar o CEO da SolidWorks, Bertrand Sicot.

“Nós somos uma empresa muito saudável. Podemos investir nessa nova linha e no produto tradicional ao mesmo tempo. Uma coisa não vai acontecer ao custo da outra”, afirma o executivo francês, destacando que a nova oferta é complementar e integrada à já existente.

Ainda não está definida qual serão os preços do novo software, que deve ser oferecido pela rede de canais da Solidworks. A hospedagem será em data centers da Dassault, mas há também a possibilidade de nuvens privadas ou contratação de fornecedores terceiros, como a Amazon.

Maurício Renner cobre a Solidworks World em Orlando à convite da Solidworks.