A Hughes terá um serviço de banda larga via satélite no Brasil. Foto: THALERNGSAK MONGKOLSIN/Shutterstock.

A operadora americana Hughes anunciou que irá lançar, em julho, um serviço de banda larga via satélite no Brasil. O plano é levar internet veloz para pontos do país que não são bem atendidos pelas operadoras que transmitem sinal por cabos.

Segundo a Exame.com, o projeto ainda está em fase de estudo. A Hughes relatou ao portal que seu principal serviço deve custar cerca de R$ 200, apresentando velocidade de conexão de 10 Mbps. 

Dados da Akamai de 2015 apontam que a velocidade média de internet no Brasil é de 3,6 Mbps, enquanto a média mundial é 5 Mbps.

Assim como nos planos de internet móvel, a banda larga da Hughes terá limite de franquia de dados. A oferta permite 20 GB por mês para navegação durante o dia e 40 GB para as noites. 

Caso o assinante exceda a franquia de dados, ele terá a velocidade de sua conexão reduzida. O usuário também poderá comprar pacotes de dados adicionais, que serão vendidos por meio de um app.

A companhia tem um plano de expansão de três fases no Brasil. Neste ano, o serviço estará disponível para 82% do território nacional. Em 2018, deve alcançar 90% do país, chegando a 100% em 2020.

"Apesar do nosso serviço cobrir totalmente a cidade de São Paulo, não temos interesse em tentar divulgar o serviço para regiões como o bairro de Pinheiros. A ideia é promover o serviço em áreas que não são bem atendidas por outras operadoras, como o interior do estado", afirmou Rafael Guimarães, presidente da Hughes no Brasil, em entrevista a Exame.

Como a internet chegará à casa do cliente via satélite, o sinal será captado por uma antena e levado para o roteador por um cabo. Apesar do receptor ficar exposto ao tempo, Guimarães afirmou à Exame que o uso de antenas não prejudicará a experiência do usuário em condições normais.

"O serviço de internet banda larga funcionará normalmente durante uma chuva normal. Agora, qualquer tempestade forte pode afetar o serviço, assim como também pode afetar rede cabeadas e a energia elétrica", disse o presidente da companhia.

A Hughes do Brasil é uma subsidiária integral da Hughes Communications. No mercado nacional, a empresa opera hoje com foco em soluções de telecomunicações para o mercado corporativo e governamental. 

Atulamente a Hughes fornece soluções integradas e presta serviços gerenciados de telecomunicações, utilizando tecnologia própria nas redes de comunicação via satélite. 

A empresa conta com 30 bases técnicas de atendimento em todo o Brasil e um centro de operações de rede (Network Operation Center) na cidade de Barueri , hospedado na Terremark Brasil, maior ponto de troca de tráfego IP multilateral da América Latina.