Marcio Fabozi. Foto: divulgação.

A Sierra Wireless, multinacional do segmento de comunicação máquina a máquina (M2M), anunciou a expansão de seu portfólio de produtos no Brasil, uma manobra para aumentar sua presença comercial no país e atender novas demandas.

A expansão de catálogo inclui novos módulos HL6 e HL6-G para conectividade 2G e HL8 para conectividade 3G, que complementará o portfólio de módulos celulares sem fio 2G e 3G da linha AirPrime, que já são produzidos localmente desde 2012.

Os três novos modelos de módulos celulares embarcados serão fabricados na linha de produção da empresa instalada dentro da fábrica da Jabil, na cidade de Betim, em Minas Gerais e cobrem todas as tecnologias de rede disponíveis desde o 2G, 3G e 4G LTE, além de possuírem versões que facilitam aplicações embarcadas com o GNSS (Global Navigation Satellite System, na sigla em inglês).

Também está nos planos da Sierra Wireless a produção de módulos incluindo a tecnologia 4G LTE. Com isso, a empresa pretende manter no país números de crescimento nivelados com os da matriz global, que faturou US$ 548,5 milhões em 2014 teve um aumento de aproximadamente 25% sobre o ano anterior.

Segundo Marcio Fabozi, gerente de vendas da Sierra no país, o plano da companhia é reforçar a posição da companhia em fornecer módulos em sistemas de ponto de venda (máquinas de cartão de crédito, por exemplo), rastreamento de veículos, segurança pública, entre outros.

“Decidimos ampliar a produção local para garantir rapidez na entrega, suporte aos clientes e atender demandas de mercado – com o objetivo de aumentar nossa participação no mercado regional em rápido crescimento de Internet das Coisas”, afirma Fabozi.

Para o gerente, atualmente muitos dos equipamentos M2M ainda usam redes 2G, devido ao tipo simples - e o baixo peso dos dados - de transações que é feito nestes terminais. Entretanto, muitos dos fabricantes de produtos conectados já se preparam para possíveis upgrades.

"Existem muitas possibilidades nestes mercados com o uso do 3G ou 4G, como POS com capacidades de conexão social ou de marketing. As empresas estão vendo estas possibilidades, assim como a ampliação do ciclo de vida de seus produtos com a implementação de módulos mais avançados", explica.

Nos últimos três anos, a Sierra Wireless fabricou localmente mais de três milhões de módulos celulares embarcados que podem ser encontrados nos dispositivos que cobrem as tecnologias de celular 2G e 3G com aplicações para Internet das Coisas e Máquina a Máquina (M2M).

Os novos pontos de interesse da Sierra com o crescimento da IoT estão centrais de alarme, cidades inteligentes e iluminação pública inteligente, demandas que estão aumentando para a companhia.

"É um movimento que iniciou de um ano para cá. Diversos fabricantes que não faziam parte de nossa base tradicional de clientes estão interessadas em inserir capacidades de conexão em seus produtos", afirmou Fabozi, sem entregar números ou metas do quanto isso representa para os negócios da empresa no país.

Atenta a essa mudança, nos últimos dois anos a Sierra adquiriu diversas empresas de interconectividade para reforçar sua oferta. Uma delas foi a sueca Wireless Maingate, especializada em gerenciamento de redes M2M, comprada por US$ 90 milhões. Outra aquisição foi a da francesa MobquiThings, MVNO especializada em serviços de M2M.