Anderson Felício.

A Betha, empresa de sistemas para gestão pública sediada em Criciúma, Santa Catarina, fechou o ano passado com um faturamento de R$ 85 milhões, uma alta de 18% frente aos resultados de 2016.

Com o resultado, a empresa volta ao ritmo de crescimento dos anos de 2013 e 2014, e fica acima do dobro do índice de 2015, quando o resultado foi de 8%. A recuperação já vinha desde 2016, quando a empresa cresceu 16,5%.

Conforme o diretor comercial da organização, Anderson Felício, os números devem ser ainda mais comemorados se levados em conta fatores como a economia brasileira e a mudança nas administrações municipais com a chegada dos novos gestores.

“São questões que acabam interferindo no nosso resultado, mas graças ao trabalho de toda empresa, do desenvolvimento à força de vendas, conseguimos superá-las e realizar um excelente ano”, completa.

A previsão é de um 2018 de crescimento na faixa dos “dois dígitos”.

“Este é o segundo ano de mandato, período em que os gestores municipais buscam colocar seus planos de governo em prática e, para isso, precisam de soluções realmente eficientes”, enfatiza Felício.

Com sete filiais e 21 revendas, atuando comercialmente em 22 estados brasileiros, a empresa tem 32 anos de mercado e 560 colaboradores diretos e 380 indiretos.

No ano passado, agregou 185 novas prefeituras e câmaras de todas as regiões do país. Ao todo, a Betha está está presente em mais de 900 municípios brasileiros, totalizando mais de 3,6 mil entidades.

A empresa investiu recentemente R$ 40 milhões em um projeto para levar seus softwares para a nuvem, atualmente em piloto em Cocal do Sul, um município de 15 mil habitantes no Sul de Santa Catarina.