SANEAMENTO

Sanepar terá ERP da Oracle

22/02/2022 05:56

SAP ganhou mega licitação de ERP primeiro, mas a Oracle riu por último. Projeto é da Wipro.

Projeto de ERP vai custar quase R$ 100 milhões. Foto: Divulgação-Sanepar.

Tamanho da fonte: -A+A

A Sanepar, estatal de saneamento do Paraná, vai implantar um sistema de gestão da Oracle na nuvem, em um projeto de R$ 97,5 milhões a ser entregue pela Wipro.

O contrato foi divulgado pela Wipro nesta semana, mas a licitação foi vencida em julho de 2021.

A nota da Wipro fala em “insights precisos e em tempo real sobre seus processos de negócios”, em um contexto de adaptação da Sanepar para o novo marco do saneamento básico do país, aprovado em 2019.

A nova legislação abre possibilidades de colaboração entre empresas públicas e privadas, por exemplo.

A história do projeto de implementação de ERP na Sanepar é mais antiga e muito mais picante do que isso, no entanto, envolvendo a SAP, arquirrival da Oracle no mercado de software de gestão empresarial.

Em 2018, a Sanepar fez um pregão eletrônico para a compra de um ERP, vencido pela Pelissari, uma parceira SAP paranaense, com um valor de R$ 107 milhões.

O edital acabou suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado e anulado pela própria Sanepar.

Os problemas foram diversos, incluindo uma divulgação prévia do valor de financiamento do projeto junto da Caixa, o que dava uma ideia de quanto a Sanepar estava disposta a gastar.

Na época, outro problema foi a existência de uma outra proposta no valor de R$ 24 milhões, quatro vezes menos.

Aparentemente, o novo edital correu sem problemas, como indica a decisão da Wipro de divulgar o contrato, algo que grandes empresas só fazem quando estão 100% seguras de que a vitória é irreversível.

A Wipro não divulgou detalhes sobre valores (outro procedimento padrão), mas a Ata da Sessão Pública do Pregão conta a história.

A gigante indiana de TI começou com uma proposta de R$ 129 milhões, concorrendo apenas com a Sydle Sistemas, dona de uma plataforma com funções de BPM, CRM, Billing e outras funcionalidades, com uma proposta de R$ 43 milhões.

Na disputa de preços, a Sydle se manteve na sua proposta original, e a Wipro fez uma redução até o valor final de R$ 98 milhões. No final, no entanto, a Sydle foi desclassificada, conforme um parecer técnico.

A vitória na Sanepar é importante para a Oracle, porque marca presença em um segmento no qual a SAP vinha se destacando.

Nos últimos tempos, a SAP fechou contratos de implementação de ERP na Iguá, uma das maiores empresas privadas de saneamento do país, e na Corsan, a estatal gaúcha do setor.

Com os contratos, a SAP parecia encaminhar no setor de saneamento o domínio que exige entre as empresas do setor elétrico.

A SAP é quase a solução padrão quando o assunto são utilities do setor elétrico no Brasil, com uma participação de mercado que pelas próprias contas chega a 80%.

Ambas tem um modelo de negócio e problemas parecidos (gerenciamento de ativos de longo prazo, cobrança mensal, forte regulação), mas as empresas de saneamento, em grande parte estatais como a Sanepar, não eram conhecidas por fazer grandes investimentos em TI, ao contrário do setor elétrico.

Veja também

MODELO
Procergs quer ser broker de nuvem

Estatal gaúcha lidera consórcio de empresas públicas para comprar no atacado.

EXCLUSIVO
Butantan tem mega projeto SAP

Projeto de R$ 91,2 milhões está nos primeiros passos e inclui ampla gama de produtos.

SANEAMENTO
Iguá começa a rodar S/4 Hana

ERP da SAP foi implementado remotamente pela Megawork.

CANOS
Sabesp: dados unificados com Engineering

Projeto unifica 40 fontes de informação e deve agilizar decisões na estatal paulista.

SANEAMENTO
Águas do Brasil: gestão de campo com Engineering

A empresa adotou a Geocall para gerenciar os serviços comerciais nas concessionárias do grupo.

UTILITIES
Copasa faz upgrade para S/4 com DXC

Mais de 200 profissionais estão envolvidos no projeto da empresa de abastecimento.