O Waze vai liberar seu serviço de caronas no Brasil em 2017. Foto: Divulgação.

O aplicativo de trânsito Waze vai liberar seu serviço de caronas no Brasil. A ferramenta já está disponível em Israel e nos Estados Unidos.

O anúncio foi feito durante o evento Google4Brazil, em São Paulo. A empresa não divulgou uma data para o início da operação, mas ela deve acontecer nos próximos meses.

Com o Waze Carpool, os motoristas que usam o app para traçar rotas podem informar o endereço para o qual estão indo e pegar caroneiros que queiram ir para a mesma direção.

"Os wazers vão fazer algum dinheiro para cobrir os custos, mas não suficiente para se tornarem profissionais. Não é serviço de transporte particular, táxi, uber. É carona", afirma Di-ann Eisnor, diretora do Waze, de acordo com o G1.

O Brasil é o segundo país em número de usuários para o Waze. Já São Paulo é a cidade com mais motoristas cadastrados em todo o mundo.

Há cerca de um mês, com a chegada do Carpool aos Estados Unidos, o Wall Street Journal testou a opção de pegar carona.

Como o valor pago é pensado para apenas cobrir os custos, o valor da carona é mais baixo para os passageiros na comparação com apps como Uber e Cabify (e, nos EUA, o Lyft).

O trajeto testado pelo WSJ no Waze Carpool em São Francisco custou US$ 4,50, pouco mais do que uma passagem de metrô, que lá sai por US$ 3,45. No Uber, a mesma corrida sairia por US$ 10,57, enquanto no Lyft ela custaria US$ 12,40.

Atualmente, o Waze não cobra uma taxa do valor pago aos motoristas dispostos a darem caronas. No entanto, Noam Bardin, diretor do Waze, relatou ao WSJ que, se o serviço tiver sucesso, a empresa vai começar a cobrar 15% a mais de cada passageiro.