A Echoenergia opera projetos de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis. Foto: Divulgação.

A Echoenergia, empresa que implementa e opera projetos de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, contratou a CenturyLink como fornecedora de um ambiente em nuvem na Amazon Web Services (AWS) para gerir suas operações.

Fundada no começo de 2017, a Echoenergia passou por um rápido crescimento ao longo do ano. Com dois parques eólicos geridos no começo de maio, a empresa chegou a dezembro com seis estações, somando mais de 70 funcionários e gerando cerca de 476 MW (megawatts).

Com o seu Centro de Operações em São Paulo, a Echoenergia precisava monitorar e controlar à distância as atividades e os acessos aos parques eólicos, localizados nos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia. 

A partir disso, a Echoenergia definiu pilares para a área de TI, que começaram com a determinação de “cloud first”. A empresa optou pelo ambiente da AWS pelo leque de soluções disponíveis em nuvem.

“Apostei na CenturyLink porque sabia que poderiam entregar o melhor resultado para nossos desafios de conectividade. A CenturyLink esteve presente desde o início do processo, ouvindo todas as nossas demandas e apresentando opções. Outras empresas do nosso setor já estão interessadas em entender a solução que foi implementada, fato que é interessante tanto do ponto de vista de segurança como de qualidade”, comenta André Spina, gerente de TI da Echoenergia.

A CenturyLink contou com seu time de especialistas para desenhar e implantar a solução requerida pela Echoenergia. Utilizando a plataforma de Public Cloud AWS, toda a solução foi ativada em menos de 15 dias.

O processo eliminou problemas como localização geográfica e segurança dos dados armazenados, permitindo que o Centro de Operações da Echoenergia supervisione os procedimentos dos parques instalados no nordeste e retire dados produtivos das ações registradas na nuvem.

A CenturyLink, que concluiu a aquisição da Level 3 em 2017, opera 17 data centers na América Latina, sendo três no Brasil. No mundo, são mais de 360.