Foto: Flickr.com/Bruno Dul7

O EMC Academic Alliance, programa mundial da multi para colaboração com universidades que oferecem cursos de TI, se expandiu no Brasil: de 12 instituições no ano passado, em 2012 já são 81, das quais sete são do Sul.

Da região, entram na lista as gaúchas UCS, Unisinos e Ulbra, o catarinense Centro Universitário Católico de Santa Catarina e as paranaenses Faculdade Expoente, Universidade Positivo e Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP).

O programa de alianças da EMC é oferecido gratuitamente às universidades, desde que elas tenham o curso em TI reconhecido pelo MEC e ofereçam a primeira graduação (bacharel e/ou tecnólogo).

A oferta inclui a disciplina Armazenamento e Gerenciamento de Informações, além de cursos para alunos e professores sobre Cloud computing, Backup e Data Science.

Tudo para suprir o que o gerente do EMC Academic Alliance, Eduardo Lima, define como um “cenário apocalíptico”, com base em um estudo do IDC que prevê que a quantidade de dados gerados anualmente deve atingir, em 2020, a marca de 35.2 Zettabytes, sendo que mais de 1/3 do universo digital estará na nuvem ou passará por ela.

“Aí surgem os desafios dos profissionais de TI”, ressalta Lima. “O crescimento na quantidade de dados gera uma demanda por profissionais capacitados em armazenamento e computação em nuvem, hoje raros no mercado”, lembra.

Além dos cursos, o portal do programa da EMC garante acesso a materiais preparatórios para certificações da EMC Proven Professional, cujas provas são aplicadas pela Pearson, com descontos para os aliados da iniciativa.
 
Conforme Maurício Ariza, estudante de Segurança da Informação da Unisinos, destaca que teve aulas da disciplina de Armazenamento e Gerenciamento de Informações no ano passado, alcançou a certificação da EMC e já vê os resultados.

“Foi estagiário da BNC Computer e agora estou na Defender. Ter aulas sobre Armazenamento e tirar a certificação fez um grande diferencial neste início de carreira, pois a maioria dos estudantes não costuma ter acessos às tecnologias de ponta que empresas adotam”, avalia Ariza.
 
A relação completa das instituições brasileiras que participam do programa pode ser conferida no link oficial.