"E aí, parceiro. Tá indo aonde?". Foto: reprodução.

Uma pesquisa mapeou as preferências dos consumidores de carros e mostrou que o público quer ver mais recursos tecnológicos nos veículos do futuro. E nessa os brasileiros, que estão entre os cinco maiores compradores de carros no mundo, estão mesmo é interessados em ter carros em que não seja preciso dirigir.

O estudo, divulgado pela Cisco, que entrevistou cerca de 1,5 mil consumidores em dez países - entre eles o Brasil - mostra que os consumidores em geral estão ansiosos por ver mais mudanças de transporte na customização, segurança, tempo e economia de custos.

Os brasileiros, assim como os consumidores chineses e indianos se mostraram mais dispostos a oferecer informações sobre hábitos de direção, em troca de eficiência em custo e tempo, e demonstram ter mais confiança em veículos sem motorista.

No caso do Brasil, ideia de ocupar veículos pilotados por computador é quase uma unanimidade, agradando a 96% dos entrevistados. Até mesmo no caso de deixar crianças nas mãos de carros sem piloto humano, a possibilidade é aprovada (96%).

O curioso disso tudo é que em países mais desenvolvidos, que contam com tecnologias de alto nível no setor automotivo, esta mesma projeção não é tão bem vinda. Japão, França e Alemanha, poucos - apenas 6% - permitiriam que seus filhos andassem em um veículo não pilotado.

De acordo com a pesquisa, mais da metade do público global espera mais opções de personalização nos veículos, para fins de segurança e ajustes na condução.

Dos entrevistados, 60% forneceriam informações biométricas como impressões digitais e amostras de DNA em troca de segurança personalizada ou segurança do carro.

65% compartilhariam informações pessoais como altura/peso, hábitos de direção e preferências em entretenimento se isso levasse a um veículo e experiência de direção mais customizados.

COMPRA E MANUTENÇÃO

O Cisco Customer Experience Report do setor automotivo também destacou revela a importância do uso da tecnologia desde o processo de escolha e compra à manutenção e à direção do veículo.

Os consumidores estão usando mais as tecnologias de comunicação (como celular, mensagens de texto, telefone, websites e dispositivos com comunicação embarcada) para se conectarem com montadoras e revendedoras.

Os resultados mostram que aproximadamente a metade (47%) dos consumidores globais valoriza a reputação da marca na adoção da tecnologia ao comprar um veículo.

Para a maioria dos entrevistados, o processo de escolha de um novo carro começa online. 83% dos consumidores globais preferem pesquisar informações sobre um carro na web, em vez de ir às concessionárias.

Além disso, 61% usam websites de fabricantes ao fazerem pesquisas para comprar um carro.

Para a manutenção, os consumidores esperam tecnologias que auxiliem no monitoramento dos veículos em diferentes quesitos, como eficiência de combustível, trocas de óleo, entre outras funções.

62% dos consumidores afirmaram que comprariam um dispositivo projetado para mantê-los no controle de seu orçamento mensal para combustível e manutenção automotiva.

Esta foi a prioridade máxima, comparada a 46% dos consumidores que querem monitorar preços de seguro, 35% que gostariam de monitorar disponibilidade de assistência automotiva em estradas e 32% querendo monitorar informações de recall.

Para Peter Granger, Gerente de Marketing Sênior da Cisco Products Solutions Industry Marketing, a pesquisa mostra o grau de conforto dos consumidores com a tecnologia e a necessidade de informações imediatas.

"Muitos consumidores estão apenas esperando que os fabricantes respondam com uma melhor experiência na compra, condução e serviços para o carro através da tecnologia", destaca.