HP vende controle da H3C. Foto: divulgação.

A Hewlett-Packard (HP) anunciou nesta quinta-feira a venda do controle acionário da H3C Technologies, empresa chinesa de soluções de rede criada pela multinacional para atender o mercado asiático.

Segundo destaca o Wall Street Journal, a HP venderá 51% das ações para a Tsinghua Holdings, braço de investimentos da Tsinghua University, pelo valor de US$ 2,3 bilhões. O negócio deve ser fechado até o final do ano.

A decisão se deu devido às dificuldades que a companhia norte-americana encontrou com restrições impostas pelo governo chinês. Com a manobra, a HP continuará com uma participação na companhia, mas terá um portfólio limitado.

A H3C é especializada em produtos de rede e TI para empresas, com cerca de 8 mil empregados e uma receita anual de US$ 3,1 bilhões, rivalizando com a Huawei, maior potência no território chinês.

Mesmo com a venda do controle acionário da H3C, a HP terá poder de decisão nos negócios, retendo o direito de indicar o presidente do conselho administrativo, assim como ter um CFO ligado à empresa.

Além disso, a HP manterá em território chinês todas as suas linhas de negócio tradicionais, como software, cloud e hardware (PCs e impressoras), negócios que geram na região uma receita semelhante ao que a H3C produz.

Apesar de ser uma decisão mais política do que econômica, a manobra a HP se dá em meio a um extenso projeto de reestruturação que a companhia está fazendo em suas operações.

No final do ano passado, a multinacional anunciou uma divisão de suas operações em duas companhias - uma focada em serviços e hardware para clientes corporativos e outra dedicada a PCs e impressoras.

Recentemente a HP afirmou que pode fazer aquisições para reforçar sua divisão corporativa em um futuro próximo. Os bilhões provenientes do negócio com a H3C podem dar uma força nesse propósito.

A HP encerrou o segundo trimestre do ano fiscal de 2015, com lucro líquido de US$ 1 bilhão, uma queda de 21% na comparação com o ganho de US$ 1,3 bilhão que teve no mesmo período no ano anterior. A receita foi de US$, 25,4 bilhões, recuo de 7% em relação aos US$ 27,3 bilhões que teve no segundo trimestre fiscal de 2014.