Henrique Capdeville. Foto: divulgação.

A First Data, multinacional norte-americana especializada em tecnologia para serviços financeiros, está acelerando seus esforços para ampliar a presença de sua solução de pagamento Bin no país.

Nesta investida, a companhia está aumentando a sua base de unidades regionais no país, assim como a base de agentes autorizados na venda do produto. Neste ano, a companhia abriu duas novas sucursais, passando a atender as regiões Sul e Nordeste.

"Contamos atualmente com uma base de 100 executivos próprios e oito regionais. Além das duas novas, temos quatro unidades em São Paulo, uma em Minas Gerais e outra no Rio de Janeiro", afirmou Henrique Capdeville, VP comercial da Bin.

A Bin, lançada no ano passado é uma parceria da First Data com o Bancoob, banco cooperativo integrado ao Sicoob, que é o adquirente da parceria e responsável pelas licenças das bandeiras e liquidação dos pagamentos aos estabelecimentos.

A multinacional investiu cerca de R$ 330 milhões para lançar o produto no Brasil, assim como a contratação de novos colaboradores e a ampliação de sua operação em São Paulo.

"No último ano, trabalhamos na consolidação do Bin e de sua proposta de valor no sudeste. Agora, com a abertura da filial do Sul em março e a do nordeste em maio, estamos preparados para escalar esta demanda", explicou o executivo.

A empresa não revelou detalhes de números e metas para o crescimento, mas de acordo com Capdeville, a empresa quer fechar o ano com mais de 200 executivos de vendas indiretas, também crescimento na base de agentes diretos.

Globalmente, a First Data tem mais de 24 mil funcionários e operações em 35 países, processando mais de 2 mil transações financeiras por segundo, totalizando US$ 1,8 trilhão por ano.

Com o Bin, a multinacional quer bater de frente com empresas como Cielo, levando a solução de pagamento - POS, mPOS e captura e transação por solução TEF, POSTEF e e-commerce - para redes médias e grandes de varejo, acompanhada por uma solução de inteligência para se diferenciar da concorrência.

"A demanda dos varejistas é de simplificar suas tarefas de conciliação nas compras com cartão. Em outras companhias, os varejistas precisam usar soluções auxiliares para controlar diferentes prazos e taxas das bandeiras. Queremos nos destacar com um modelo mais solido neste aspecto", afirmou Capdeville.

Além disso, a empresa também quer usar a força ampliada de vendas para impulsionar o Clover, solução complementar ao Bin e voltada a negócios de pequeno e médio porte, usando uma aplicação de pagamentos eletrônicos em nuvem.

"O mercado de pagamentos eletrônicos e móveis para autônomos e micro empresários tem um grande potencial no Brasil, e queremos repetir aqui a boa experiência que tivemos com o Clover em países da Europa e nos Estados Unidos", destacou o executivo.

A Bin e Clover complementam as ofertas existentes da First Data no Brasil. A empresa já oferece as soluções VisionPLUS e VisionPLUS Flex, de processamento de pagamentos para emissores, soluções de cartão presente e gerencia uma rede de correspondentes não-bancários composta de 11 mil comerciantes, espalhados pelo país.