David Aragão, Leo Pinho e Thiago Diniz, fundadores da Hent. Foto: divulgação.

A Hent, startup recifense de gestão de cobrança de loteamentos imobiliários, captou R$ 5 milhões em rodada liderada pelo fundo brasileiro Canary com a participação de outros investidores.

Entre os participantes, está Brian Requarth, cofundador do VivaReal e chairman do Grupo ZAP, assim como o investidor-anjo Julian Toniol e o fundo Norte Ventures, clube de investimentos composto somente por founders, como Gabriel Benarrós, cofundador da Ingresse, e Bruno Nardon, cofundador da Rappi. 

Fundada em 2019, a proptech passou pela aceleração da Y Combinator, no Vale do Silício, em janeiro deste ano.

Seu grupo de fundadores conta com: David Aragão, fundador da Motonow, empresa de delivery vendida em 2015 para a Loggi; Leo Pinho, fundador da Kaplen, fintech comprada pelo Itaú em 2015; e Thiago Diniz, fundador da Eventick, startup de eventos adquirida pela Sympla em 2016.

A plataforma da Hent promete simplificar a gestão de contrato de venda de loteamentos imobiliários, além de emitir e enviar boletos e notificações de cobrança, via e-mail, WhatsApp ou SMS, para os compradores e fazer a conciliação dos pagamentos. 

Normalmente, a compra de terrenos é feita via carnê, com prestações que duram entre 10 e 30 anos. 

Como boa parte das incorporadoras gerenciam milhares de lotes, fazer a administração dos contratos e cobrança das parcelas exige uma operação complexa, que abrange altos custos de processamento financeiro e operacional com os funcionários do time de cobrança. 

Hoje, a Hent está administrando pagamentos de 24 mil lotes e o seu modelo de negócio também pode ajudar os loteadores na redução da inadimplência, que gira entre 18 e 22% no país.

"Não concorremos com CRMs ou ERPs, inclusive, já possuímos integrações com muitos ERPs do mercado. Nosso objetivo é automatizar o processo de cobranças, melhorando a eficiência operacional e financeira do loteador", explica Leo Pinho, CEO e cofundador da Hent. 

Com o valor captado, a startup deve acelerar sua expansão, além de viabilizar a contratação de 15 funcionários ainda neste ano. Atualmente, a Hent conta com seis colaboradores.

A startup estima que o mercado de lotes ativos no Brasil, a ser explorado por ela, seja superior a R$ 500 bilhões. 

Segundo uma pesquisa divulgada pelo Secovi-SP, a cada ano são aprovados cerca de 400 projetos, com aproximadamente 150 mil novos lotes somente em São Paulo. 

"O mercado de loteamentos no país é ainda muito fragmentado e faz pouco uso de tecnologia para tornar os processos mais ágeis. Vemos uma grande oportunidade para a Hent”, afirma Marcos Toledo, cofundador e sócio diretor do Canary. 

Além da tecnologia para otimizar os processos de administração de loteamentos, a startup também começará a oferecer, ainda neste ano, acesso a capital, tanto para as incorporadoras como para compradores de lotes. 

O crédito poderá ser destinado à aquisição de novos terrenos, financiamento de obras e para a construção de casas.

"A Hent está desenvolvendo algo que o mercado precisa e estou muito feliz em contribuir com esses experientes empreendedores, reduzindo o déficit habitacional no Brasil e ajudando todos os players da cadeia, desde o loteador até o comprador", destaca Brian Requarth, investidor da Hent.