Globosat migrou para para o Windows Azure. Foto: divulgação

A Globosat, programadora de conteúdo para televisão por assinatura controlada pela Globo Comunicação e Participações (Globopar), atualizou sua plataforma de armazenamento em nuvem da Microsoft: a companhia, que utilizava o System Center 2007, migrou para o Windows Azure.

Detentora de cerca de 40 canais pagos, como Globonews, Multishow, Telecine e outros, a Globosat usava o System Center 2007 para monitorar os serviços disponibilizados na nuvem, cujo provedor de máquinas virtuais era da Amazon, conta Geraldo Pimenta, gerente de Infraestrutura de TI da programadora.

“No entanto, essa ferramenta oferecia um gerenciamento falho, tornando difícil até acompanhar o que estava acontecendo com o seu servidor internamente. Para fazer algo tão simples como criar uma máquina na nuvem, nós tínhamos que entrar num portal que era muito limitado e não funcionava corretamente”, lembra Pimenta.

Como já usava o System Center, a empresa optou por facilitar a atualização da plataforma, migrando para a versão 2012 do Azure.

“As duas ferramentas casaram com o que tínhamos em mente: o gerenciamento em nuvem seguro, fácil e eficiente por meio de uma ferramenta instalada na própria estrutura”, comenta o gestor de TI.

Junto com o System Center 2012, vieram o Hyper-V 3.0 e o Windows Server 2012, ferramentas consideradas pré-requisito na instalação do System Center 2012, responsável pelo gerenciamento do Windows Azure.

A implantação da nova plataforma, comandada pela Lógica, foi feita de dezembro de 2012 a janeiro de 2013 e contemplou todo o departamento de TI da Globosat.

“Em princípio, o benefício está dentro da área de TI, porque nós ainda estamos nos familiarizando com toda a estrutura. Uma vez que a gente tenha dominado totalmente o processo, iremos disponibilizar para as demais áreas”, explica Pimenta.

Segundo ele, alguns benefícios já foram sentidos, como o fato de que antes a equipe levava de cinco a dez dias para criar uma máquina na nuvem, o que hoje ocorre em três cliques.

Além disso, com o System Center 2012 a empresa cria uma máquina na nuvem com mais soluções de monitoramento e distribuição de software, e pode gerenciar e manipular essa máquina como objeto da rede, mesmo estando na nuvem, conta o gestor.

MS E AWS
Se a Globosat deixou de lado as soluções as Amazon, outras ramificações do guarda-chuva Globo acabam de investir na plataforma da companhia norte-americana.

Foi o caso da Rede Globo, que recentemente migrou 64 aplicações, incluindo sistemas de suporte a programas como The Voice Brasil, a novela Avenida Brasil e o Big Brother Brasil, da estrutura da Alog para a AWS, braço de computação em nuvem da Amazon

O projeto foi conduzido pela paulista CredibiliT, que usou toda a camada de managed services da Amazon, ou seja, toda a arquitetura dos ambientes, setups da infraestrutura, suporte on-going, otimização de recursos e uso das funcionalidades da AWS.

O pacote incluiu serviços de EC2, S3, Cloud Front, RDS, DynamoDB, EBS e Elastic Transcoder, tudo voltado a suportar as demandas de horários de pico da emissora, cuja audiência chega a 5.482 municípios do país, atingindo 99,50% da população.