O Banco KEB Hana do Brasil é subsidiário do sul coreano KEB Hana Bank. Foto: Divulgação.

O Banco KEB Hana do Brasil, subsidiário do sul coreano KEB Hana Bank, apostou na tecnologia da Totvs para implantar seu sistema de internet banking e modernizar seus serviços.

Presente no Brasil desde 1998, o Banco KEB Hana tem como estratégia ser um banco comercial com foco de mercado formado por empresas multinacionais sul coreanas estabelecidas no país e as organizações de outras nacionalidades que mantêm relações comercias com estas empresas.  

Anteriormente à contratação da Totvs, muitas atividades eram manuais, com o preenchimento de requisições, um procedimento que demandava digitação e aumentava o risco de incidência de erros. Hoje, além das consultas tradicionais, os clientes fazem Transferência Eletrônica Disponível (TED) e pagamentos via internet.

Hoje, 70% dos clientes do banco utilizam os serviços pela web ou mobile e cerca de 80% das transações são feitas via internet banking.

A instituição está planejando a segunda fase do projeto, em que está prevista a disponibilização de outros produtos e serviços, também para pessoa física, como investimento transacional, envio de pequenas remessas de dinheiro ao exterior e consulta e simulação de crédito.

Com uma estrutura enxuta, o Banco KEB Hana buscou na tecnologia a saída para expandir sua atuação e buscar clientes em outros segmentos. 

“Com as soluções da Totvs, conseguimos mitigar os nossos riscos operacionais e aumentar a nossa eficiência. Hoje, podemos processar mais transações com menos tempo e recursos”, afirma Sung Won Kim, diretor executivo do Banco KEB Hana do Brasil.

O Banco KEB Hana do Brasil utiliza todas as soluções da Totvs de core financeiro, entre elas: conta corrente, crédito, tesouraria, investimento e contabilidade. 

Com a estratégia de atuar com foco em empresas multinacionais sul coreanas com presença no Brasil, o banco tem oportunidades crescentes de mercado. 

Em 2011, por exemplo, o Brasil entrou pela primeira vez na lista dos dez maiores receptores dos investimentos externos feitos pela Coreia do Sul, na oitava posição. O ingresso de recursos atingiu US$ 1,1 bilhão naquele ano.

Nos últimos anos, chegaram ao Brasil empresas como a Hyundai Elevadores, que em 2014 inaugurou uma fábrica em São Leopoldo. Na mesma cidade está a HT Micron, joint-venture da sul-coreana Hana Micron com a gaúcha Parit, que fabrica semicondutores.

Em 2012, foi aberta em Joinville a primeira fábrica do grupo sul-coreano Yudo na América Latina. A Yudo produz sistemas de câmara quente do processo de injeção de plásticos em componentes eletrônicos, técnicos de precisão, automotivos, embalagem e PET. 

No começo deste ano, a Hyundai-Rotem, braço do sul-coreano Hyundai Motor Group, inaugurou uma fábrica em Araraquara. Com investimento de R$ 100 milhões, a unidade de trens e composições ferroviárias vai produzir até 200 vagões por ano, com estimativa de geração de 300 empregos.