Simone Stülp, diretora de inovação e sustentabilidade da Univates. Foto: Arthur Dullius/Univates.

A BRF, empresa multinacional brasileira do ramo alimentício, vai investir R$ 100 mil no Parque Científico e Tecnológico do Vale do Taquari (Tecnovates), localizado no interior do Rio Grande do Sul, para o desenvolvimento de estudos e projetos relacionados à Covid-19 e à saúde pública.

Segundo a Univates, o valor será utilizado para promover o avanço dos protocolos de tratamento e de diagnóstico e o desenvolvimento de medicamentos para o tratamento de infectados pelo Sars-Cov-2. 

Para isso, o parque tecnológico trabalhará em conjunto com o BrfHub, área da BRF responsável pela coordenação das ações de inovação da empresa.

O valor deve ser distribuído entre projetos de startups da Incubadora Tecnológica (Inovates) e projetos de pesquisa vinculados ao Tecnovates e à universidade. Os critérios para a divisão dos recursos na instituição de ensino estão sendo definidos.

A Univates foi selecionada entre outras 40 iniciativas de organizações prospectadas pela BRF.  No total, serão R$ 3,5 milhões destinados para os principais centros e fundos de pesquisa do Brasil, além de iniciativas regionais.

Entre os contemplados, estão instituições como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro, e o Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP).

Para a professora Simone Stülp, diretora de inovação e sustentabilidade da Univates, o investimento da BRF é importante para o Tecnovates por duas razões. 

“Primeiro por se tratar de uma aproximação com o hub de inovação da BRF, conectado com as áreas prioritárias de nosso parque tecnológico; e em segundo lugar por se tratar de um investimento em área de extrema necessidade neste momento de emergência sanitária”, explica Stülp. 

Com origem em 1993, o Tecnovates teve sua nova estrutura física inaugurada em 2014 com investimentos de R$ 23 milhões e cerca de 5,2 mil m² de área construída. São cerca de 32 empresas instaladas. 

A Univates atualmente oferece 45 cursos de graduação presencial, 18 cursos de graduação a distância, 22 técnicos, 37 cursos de pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado), além de educação continuada.

O campus sede da universidade conta com uma área de 566 mil m², na qual estão localizados 27 prédios. 

Fundada em 1934, a BRF é detentora de marcas como Sadia, Perdigão e Qualy, com receita líquida de R$ 33,4 bilhões em 2019. A empresa conta com 90 mil colaboradores em 130 países.