Paul Jacobs, presidente do Conselho de Administração da Qualcomm. Foto: Agência Brasil

A Qualcomm, empresa americana especializada na produção de chipsets para celulares, se comprometeu a produzir chips da tecnologia 4G no Brasil até 2013.

A promessa foi feita pelos executivos da empresa americana, que se reuniram com a presidente Dilma Rousseff e o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, nesta terça, 21.

Na reunião, eles falaram sobre os projetos que serão desenvolvidos pelo centro de pesquisas que a empresa está montando no Brasil, em São Paulo.

“Tivemos uma ótima discussão sobre a evolução da telefonia móvel. Queremos incentivar os smartphones como ferramenta de inclusão digital", afirmou o presidente do conselho de administração da empresa, Paul Jacobs, após a reunião no Palácio do Planalto.

Em abril deste ano, a companhia americana prometera implantar um centro de desenvolvimento, o que está acontecendo em São Paulo, especialmente voltado ao planejamento de chipsets para tablets.

O governo, em contrapartida, incluiu a empresa na Lei do Bem, que desonera a produção dos equipamentos.

A Qualcomm não é uma fabricante de chipsets, mas trabalha no desenvolvimento destes produtos, que são depois utilizados por diversos fabricantes – as patentes destes produtos constituem 60% do lucro da empresa.

"O Brasil é o primeiro centro global da Qualcomm para o desenvolvimento de tablets. A partir do primeiro trimestre de 2013 teremos os primeiros projetos prontos”, afirmou o presidente da divisão de semicondutores da Qualcomm no Brasil, Cristiano Ramon.

Conforme matéria do Valor, a empresa americana Qualcomm se comprometeu a produzir chips para as diferentes tecnologias da quarta geração de celular (4G) que forem adotadas no Brasil.

Na faixa destinada aos serviços na zona rural (450 Mhz), alguns centros de pesquisa e operadoras, como a Oi, já realizam testes com internet móvel de alta velocidade.

"Um dos compromissos que fizemos é o de incorporar todas as bandas que o Brasil está considerando para 4G --não só de 700 MHz, mas de 2,5GHz e de 450 MHz, para banda larga rural, também", destacou Ramon.

Para as próximas semanas, Jacobs afirmou que novas parcerias com empresas que produzem no Brasil devem ser estabelecidas.

Em maio, a companhia firmou acordo com a Digibras Indústria do Brasil, dona das marcas CCE Info e CCE Mobi, de licença para 3G e 4G.

COPA DO MUNDO

As discussões em torno do 4G, rede de telefonia e internet móvel de quarta geração, pelo governo se tornam cada vez mais importantes à medida que a Copa do Mundo de 2014 se aproxima.

A presidenta Dilma Rousseff, em seu programa de rádio, afirmou que a 4G será implantada no país antes da Copa. Segundo a Anatel, até a metade de 2013, capitais e grandes centros já devem receber cobertura 4G.

Em junho, o governo brasileiro leiloou licenças de 4G na frequência de 2,5 GHz. Recentemente, anunciou que pode realizar nova licitação, na faixa de 700 Mhz, em 2013.