"Senhor, precisamos de sua wi-fi. É uma emergência". Foto: flickr.com/photos/boston_public_library

Nos filmes, sabe aquela cena onde o policial "pede emprestado" o carro de algum civil para perseguir o bandido? Pois é, sua rede wireless pode ocupar o lugar do carro.

Cientistas da Universidade Técnica de Darmstadt, cidadezinha com 142 mil habitantes no oeste da Alemanha, afirmaram que roteadores sem fio domésticos e de escritórios poderão ser interligados para fornecer um sistema de comunicações para serviços de emergência se a rede de telefonia móvel falhar.

Os cientistas caminharam pelo entorno do centro da cidade para localizar roteadores wi-fi, sem invadir a privacidade.

Em uma área de apenas 0,5 quilômetro quadrado, usando aplicativo Android para localizar as redes sem fio, eles encontraram 1.971 roteadores, dos quais 212 não eram protegidos por senhas.

Esta grande densidade significa que uma rede de emergência poderia utilizar roteadores vizinhos, dando aos socorristas acesso à internet e contato com seus quartéis-generais.

"Com uma cobertura de 30 metros, uma rede poderia ser facilmente construída em áreas urbanas", explicou a equipe, cujo modelo matemático foi publicado no periódico International Journal of Mobile Network Design and Innovation.

Os roteadores, em muitos países, são comuns inclusive em cidades de médio porte, podendo ser usados pelo Corpo de Bombeiros, pelo serviço de emergência e pela polícia se as torres e redes de telefonia celular caírem ou estiverem sobrecarregadas, afirmaram.

O estudo sugere que um "controle" de emergência seja incorporado aos roteadores, permitindo que socorristas possam ativar para montar uma rede de suporte, oferecendo-lhes link de dados e voz na internet, caso haja a necessidade.

Segundo o estudo, isto pode ser feito facilmente sem impedir usuários ou invadir sua privacidade.

Muitos roteadores já usam um modo "hóspede", ou seja, um canal suplementar que permite aos visitantes usarem um wi-fi doméstico.