Empresa conseguiu apenas US$ 12 mi dos US$ 32 mi previstos. Foto: flickr.com/photos/mdpettitt

O Ubuntu Edge, smartphone top de linha visionado pela Canonical, não vai sair do papel.

A campanha de crowdfunding montada pela empresa no site Indiegogo arrecadou "apenas" US$ 12 milhões dos US$ 32 milhões necessários para fazer o projeto virar uma realidade.

As contribuições iam de US$ 20, o que garante ao patrocinador seu nome entre os "fundadores" do projeto, a US$ 80 mil, em um pacote empresarial com 100 aparelhos e 30 dias de suporte técnico.

Caso fosse vendido, o Edge teria uma tela de 4,5”, resolução de 1280x720, chassi feito de metal, 4GB de RAM, 128GB de memória interna e um processador multi-core não anunciado.

Quando plugado a um monitor externo, o Ubuntu Edge se comportaria como um PC Desktop rodando uma versão completa do Ubuntu.

Em entrevista ao jornal The Guardian, Mark Shuttleworth, fundador da Canonical apontou que a empresa continuará a se focar no mercado mobile com outros smartphones, mas não revelou se esse é o fim da linha para o Ubuntu Edge.

Talvez a falta de generosidade do público tenha que ver com o fato de Shuttleworth ser um milionário que em tese poderia bancar o projeto do próprio bolso.

O empresário fundou uma empresa de segurança digital na África do Sul vendida por US$ 575 milhões para a Verisign em 1999.