Manuel Andrade, CEO da Padtec. Foto: Divulgação.

A Padtec acaba de inaugurar seu segundo escritório fora do Brasil, com a abertura de uma unidade em Bogotá, na Colômbia. A empresa está presente também na Argentina desde 2007.

O novo escritório tem o objetivo de expandir a presença da empresa na região e facilitar o suporte de vendas e operações a clientes das Américas Andina e Central. Além disso, deverá contribuir para a ampliação do market share da empresa nos próximos anos.

“O novo escritório reforça ainda mais a expansão internacional da Padtec, já que a região possui um forte mercado de transmissão óptica, impulsionado principalmente pela crescente demanda de acesso banda larga”, afirma Manuel Andrade, CEO da empresa. 

Hoje, equipamentos da Padtec iluminam mais de 13 mil quilômetros de redes DWDM que vão do sul do México à Colômbia. 

“Esse investimento irá contribuir para atender esse mercado, que ainda tem muito espaço para crescer. Estabelecer uma infraestrutura na região visa garantir que a Padtec esteja no lugar certo, no momento em que o cliente precisar”, acrescenta Andrade.

Referência em tecnologia e sistemas DWDM para o transporte óptico, a Padtec oferece um portfólio que atende às demandas fim a fim - em transporte, amplificação óptica e proteção de rotas - de grandes operadoras, integradores, utilities e provedores de serviços. 

O braço de serviços da empresa, hoje com mais de 40 pontos de presença no Brasil, atua na implantação, operação e manutenção de sistemas e no gerenciamento de redes.

“Os equipamentos da Padtec estão presentes nas redes das mais importantes operadoras de telecomunicações da América Latina. Além disso, nossa presença atualmente se estende ao mercado mundial, por meio de representantes e negócios em diversos países. A Padtec já iluminou mais de 150 mil quilômetros de redes backbone e metropolitanas, em toda América Latina”, afirma Argemiro Sousa, diretor de Negócios da empresa.

A Padtec registrou um faturamento de R$ 347,31 milhões em 2014, resultado mais recente divulgado pela empresa. Apesar da alta de 21,3% na receita, o EBITDA ficou negativo em R$ 12,8 milhões.