Ana Rosa Madeira, diretora de negócios da GFT. Foto: Divulgação.

A GFT, multinacional alemã de desenvolvimento de software, contratou Ana Rosa Madeira como nova diretora de negócios. A executiva será responsável pelo desenvolvimento de novos projetos e entrega de soluções com foco em inovação, transformação digital e modernização de core banking.

A profissional tem uma carreira construída em organizações de tecnologia e serviços nacionais e multinacionais, como Oracle, Capgemini, CTIS e BDO Binder. Nessas companhias, acumulou mais de 20 anos de experiência no atendimento a clientes de grande porte do segmento financeiro tanto nas áreas de TI quanto de negócios.

Para Marco Santos, managing director da GFT Latam, a contratação de Ana Rosa fortalece o time de executivos de Financial Services da companhia. 

"A Ana conta com uma sólida experiência em vendas e entregas consultivas, implementações de soluções e programas de modernização de plataformas de negócio e ambiente analítico. Todo esse background e conhecimento em processos do negócio irão agregar experiência e reforçar a nossa atuação estratégica", analisa o executivo.

A diretora é a segunda contratação anunciada para a área de negócios da GFT nos últimos dois meses. Recentemente, chegou ao time Fabricio Vaz, diretor que tem foco no reforço da atuação da companhia em Financial Services e Retail.

Em 2018, a GFT aprofundou sua aposta em métodos ágeis na operação brasileira, ampliando a abordagem para todas as suas interações com os clientes e também em áreas internas da companhia, como recursos humanos.

Do ponto de vista de desenvolvimento, a empresa adotará em todos os times a abordagem do centro de engenharia ágil aberto no começo do ano passado em Curitiba.

Hoje, o centro é responsável por 16 clientes, incluindo “o primeiro banco com abertura de conta 100% digital do Brasil”, instituições como Sefaz-PR e Copel e projetos offshore para fora do país.

A GFT registrou um aumento de 157% em seu faturamento no Brasil em 2016, a maior alta entre as unidades do grupo no mundo. Globalmente, a receita da multinacional alemã aumentou 13% na comparação com 2015, chegando a  € 422,56 milhões.