Fábrica da Termomecanica.

A Termomecanica, companhia de metalurgia especializada em metais não ferrosos, está introduzindo conceitos de Indústria 4.0 na sua operação, por meio de um trabalho em conjunto das áreas de tecnologia e industrial na empresa.

Recentemente, a empresa implantou sensores em mais de 30 equipamentos no chão de fábrica e 130 pontos de medição nas duas unidades fabris da companhia no ABC paulista, a metade das suas unidades no país.

Com um investimento de R$ 1,2 milhão, o sistema que controla a execução na manufatura (MES, na sigla em inglês), passam a enviar informações em tempo real.

Os sensores implementados nos equipamentos de laminação, trefilas, fundição, extrusoras, entre outros, fornecem diversos tipos de dados como, por exemplo: estado da máquina (ligada e produzindo, desligada, ligada, mas não em produção; velocidade de algum componente, consumo de energia). 

Além dos sensores, são também utilizados módulos para entrada de informações sobre o processo industrial, que permitem ao operador informar as condições do seu trabalho. 

“A visão de empresa por trás desses investimentos é ter uma empresa enxuta, horizontal cada vez mais decisões sendo tomadas em tempo real com ajuda de dados por profissionais altamente qualificados”, explica o superintendente de TI da Termomecanica, Walter Sanches.

A movimentação da Termomecanica não fica só a nível de linha de produção. Alguns dos dados coletados pelo MES e pelos sistemas supervisórios das máquinas (conhecidos pela sigla em inglês SCADA) são integrados com o sistema de gestão empresarial da SAP da companhia.

“Com o cruzamento dessas informações, como por exemplo consumo de energia, com as análises de custo, eficiência e margens do ERP, vamos ter insights interessantes para a empresa. É a junção de tecnologia da informação com tecnologia operacional”, resume Sanches.

A Termomecanica está adiantada em um processo no qual a maior parte das empresas brasileiras ainda engatinha. 

Segundo uma pesquisa realizada pelo Projeto Indústria 2027, uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Indústria 4.0 é uma realidade para apenas 1,6%  empresas brasileiras do setor industrial. Em 10 anos, a projeção é de que cheguem lá 21,8%.

De acordo com a pesquisa, só 15,1% dos pesquisados tem projetos em adoção nas áreas de internet das coisas, inteligência artificial, armazenamento em nuvem e big data, cuja combinação gera o cenário de manufatura avançada descrito pelo termo Indústria 4.0.

Com um faturamento de quase R$ 1,1 bilhão em 2016, a Termomecanica tem cerca de 1,9 mil empregados e fábricas no Brasil, Chile e Argentina.