Jan Riehle, fundador e CEO da Ítaro. Foto: Divulgação.

A Itaro.com.br, e-commerce de pneus, acessórios e peças automotivas, iniciou as operações da Itaro México. A expectativa é que a filial, que foi idealizada junto ao fundo mexicano Variv Capital, fature em torno de R$ 10 milhões no primeiro ano, mesmo valor alcançado no Brasil em 2013.

A Itaro México terá mesmo modelo de negócio da matriz brasileira, que oferece pneus, acessórios e peças automotivas. A empresa une a compra online com a instalação gratuita em oficinas parceiras. 

A filial inicia a operação com mais de 400 modelos de pneus, de 10 marcas, e 300 oficinas parceiras na Cidade do México. 

“Estávamos monitorando os mercados emergentes e enxergamos no México uma grande oportunidade para o nosso modelo de negócio”, explica Jan Riehle, CEO e fundador da Itaro. 

A filial mexicana conta com um time independente do Brasil, liderado por Pepe Balanaos, ex-consultor da Bain & Company, e Erin Chemney. Ambos fizeram MBA com Riehle no Institut Européen d’Administration dês Affaires (INSEAD.

Futuramente, a Itaro pretende iniciar operações em outros países da América Latina. 

“Nosso foco está no Brasil, mas em longo prazo enxergamos um grande potencial na Colômbia, um mercado bem interessante, com muitas oportunidades para empresas brasileiras”, conclui Riehle. 

Lançada em dezembro de 2012 no Brasil, a Itaro.com.br recebeu recentemente um aporte Series A liderado pelo fundo brasileiro Astella Investimentos, com participação de fundos estrangeiros, como o russo Simile, o ucraniano TA Ventures, o mexicano Variv e o argentino IG Angels. 

Em 2013, a matriz da empresa faturou R$ 10 milhões. Para este ano, a expectativa é alcançar R$ 30 milhões. 

O fundador e CEO da empresa, Jan Riehle, nasceu na Alemanha. Ele foi diretor da Springstar Brasil, incubadora de empresas de internet alemã e vice-presidente de uma empresa de Location Based Services na Suíça, além de ter atuado no ClickOn e Brandsclub e cofundado a eÓtica e a OndaLocal.

O "Relatório Trimestral de Contas Nacionais dos países da OCDE" aponta a expansão da economia mexicana, de 1%, como a mais expressiva do grupo, junto com a dos Estados Unidos. O desempenho do México foi maior do que a média dos países da OCDE no segundo trimestre desse ano, que foi de 0,4%.