Na corrida das telecoms no estado, a Oi passou a TIM. Foto: flickr.com/photos/nanalil

A Oi ultrapassou a TIM e agora é a terceira operadora móvel do Rio Grande do Sul, de acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em outubro.

Com a aquisição de 42.673 novos clientes no último mês de setembro, a Oi passou a concorrente italiana, contando com 2.132.398 clientes, 17 mil a mais que TIM, mesmo sendo a última entrante no mercado móvel gaúcho.

A Vivo lidera o mercado no estado, com 6,2 milhões de usuários, seguida pela Claro, com 4,5 milhões.

A Oi também é disparado a operadora movel que mais ganhou clientes no ano, com 349 mil contra 217 mil da Vivo, a segunda colocada. No índice de acessos móveis em 2012, a empresa ocupa 40,9% do market share.

Em termos percentuais de participação no mercado, a operadora teve a maior alta, passando de 12,5% em janeiro para 14,1% em julho (+ 1,3%), enquanto que as concorrentes variaram entre -1,3 a +0,7.

Agora a quarta colocada no mercado gaúcho, a TIM sofreu sérios baques nos últimos meses. Após receber sanções da Anatel e ser acusada de derrubar chamadas de usuários, entre agosto e setembro, a operadora registrou queda de 1,8% em seu índice de acessos móveis.

INVESTIMENTOS

A posição conquistada pela Oi é ancorada pelos investimentos realizados pela operadora durante o ano. A empresa investiu cerca R$ 290 milhões em rede no Rio Grande do Sul este ano, valor 32% superior aos R$ 220 milhões investidos pela companhia em 2011.

Em junho, ao arrematar o quarto lote para o sistema 4G no país, a companhia se responsabilizou de expandir seu sinal de 450 Mhz e 3G a 60% do estado até 2014, segundo determinação da Anatel.

ANTENAS

Pelos padrões da União Internacional de Telecomunicações (UIT), a relação de usuários por antenas considerada a mais ideal no Rio Grande do Sul é a da Oi. No Estado, a média das outras operadoras em julho de 2012 é de 4.031 contra 1.840 da Oi.

A média da Oi é a mais próxima a dos países tidos como referência para a UIT. Os Estados Unidos possuem uma média de mil clientes por antena. Em relação ao Japão, a proporção é de 400 usuários por torre.