Companhia passou da 750º posição, em 2011, para 902º. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Totvs caiu no ranking das mil empresas de capital aberto que mais investem P&D. Em 2011, estava na 750º posição, caindo para 902º em 2012, com um gasto de US$ 90 milhões. 

Realizada pela consultoria americana Booz & Company, a pesquisa demonstrou que o desempenho de todas as empresas brasileiras piorou de um ano para o outro, o oposto do que aconteceu com a média global.

Ao todo o investimento em pesquisa feito pelas seis companhias (Vale, Petrobras, Gerdau, Totvs, CPFL Energia e Embraer) foi US$ 3 bilhões, 18,3% menos que os US$ 3,7 bilhões do ano anterior. Além disso, a Companhia Paranaense de Energia (Copel), que estava presente no ranking em 2011, não está mais. 

A CPFL foi a brasileira que registrou a maior queda, de 634º para 937º. A Vale é a maior investidora do país nesse quesito, como tem ocorrido nos últimos anos. Mesmo perdendo 14 posições, a companhia ocupa o 94º lugar. 

Segundo Fernando Fernandes, sócio da Booz & Company, o resultado foi impactado pela desvalorização do real frente ao dólar. Em reais, a queda foi de 5%, para R$ 5,9 bilhões.

O analista acredita que o desempenho está relacionado com o momento econômico. "Fomos um dos últimos países a serem afetados pela crise econômica. A redução pode ser um reflexo disso", disse ao jornal Valor Econômico.

No entanto, Fernandes acredita que o Brasil não tem muito espaço para ultrapassar o patamar atual, de cerca de 0,5% do total, por não oferecer infraestrutura, nem políticas públicas necessárias para estimular um investimento massivo em inovação.

Ao todo, foram aplicados US$ 638 bilhões em inovação, um recorde para o estudo iniciado em 2005.

No topo da lista estão: Volkswagen, Samsung, Roche, Intel, Microsoft, Toyota, Novartis, Merck, Pfizer e Johnson & Johnson. Empresas da América do Norte, Europa e Japão correspondem a 90% de todo o investimento em P&D no mundo em 2012.