Uma visão para o futuro da Dell. Foto: https://www.flickr.com/photos/dellphotos/

A Dell passou por mudanças radicais na última década: em 2013 a empresa fechou seu capital em uma manobra surpreendente; três anos depois, ela anunciou a fusão com a EMC, um negócio de mais de US$ 60 bilhões. 

O período de mudanças bruscas, no entanto, parece ter ficado para trás. Durante o Dell Technologies Summit, a companhia se esforçou por mostrar uma visão de médio e longo prazo. 

A expressão "os próximos dez anos" foi ouvida com frequência, em um contexto de mudanças não apenas em produtos, mas também em uma mudança sensível em sua cultura interna.

As alterações envolvem a articulação de uma série de palavras de ordem da gestão empresarial do século 21, como diversidade, inclusão, compliance e sustentabilidade. Segundo o plano da multinacional, todas elas trarão impactos na forma em que ela conduzirá seus negócios no futuro.

Do ponto de vista de diversidade, o objetivo da companhia é contratar, desenvolver e reter mais mulheres em sua força de trabalho, na qual elas devem ocupar metade dos cargos até 2029 - além disso, a empresa espera que 40% de seus cargos de liderança sejam ocupados por mulheres. 

Outras minorias também estão neste planejamento: nos próximos 10 anos, a empresa deseja desenvolver oportunidades para que 15% de suas lideranças sejam negras ou hispânicas (os chamados latinos são 38% da população do Texas, onde a Dell está sediada).

Para garantir este plano, a empresa planeja empregar o que conhece bem: tecnologia. Questões como compliance para esta nova ética corporativa serão baseadas em sistemas de monitoramento, observando o grau de comprometimento dos funcionários com esta mudança.

Para analistas, este anúncio da Dell se alinha com uma nova tendência no meio empresarial, em que a preocupação com diversidade e inclusão é um motor de engajamento para a força de trabalho, especialmente entre os jovens. 

Segundo um estudo da Glassdoor, 2020 marcará o início de uma nova década para as empresas, em que a cultura interna das organizações terão um peso tão importante quanto ou até maior que o foco em seu core business.

Concorrentes diretas da Dell também anunciaram iniciativas nessa linha. A HPE, por exemplo, anunciou no ano passado a meta de reduzir as suas emissões de carbono operacionais em 55% até 2025. Do ponto de vista de inclusão, a HPE diz que 37% de sua força de trabalho é composta por mulheres, e a meta é chegar aos 50%, assim como a Dell, cujo percentual é de 30,4%.

Mesmo assim, o novo direcionamento da Dell também se manifesta na forma tradicional em que ela faz seus negócios. 

A empresa já está empregando modelos sustentáveis na produção de seus servidores e computadores, reciclando plásticos e outros materiais como fibra de carbono, que eram descartados pela indústria aeroespacial.

A empresa também colocou em testes nos EUA uma nova forma de entregar seus servidores, trocando o papelão e o isopor das embalagens tradicionais por containers retornáveis de metal. 

"Um container pode comportar até 40 servidores de 1U, eliminando até 230 quilos em materiais de embalagem em cada remessa", apontou Don Curlee, diretor de Engenharia de Infraestrutura da Dell. Segundo ele, esta iniciativa começará a ganhar escala global a partir de 2020, mas não deu maiores detalhes.

Para o VP de sustentabilidade corporativa da Dell, David Lear, reduzir a produção de lixo computacional é uma missão importante para a multinacional. 

Até 2030, para cada peça de hardware comprada, a empresa pretende reciclar ou reutilizar um produto equivalente. Até lá, também é meta da companhia usar 100% de materiais recicláveis em suas embalagens.

"Sabemos que inicialmente este esforço demandará um gasto maior de nossa parte, e em casos de alguns produtos que usarão materiais renováveis, poderá ser um pouco mais caro. Entretanto, queremos estabelecer um exemplo para o mercado, e esperamos que os clientes acompanhem esta intenção. À medida que este plano ganhar escala, vamos fazer destas práticas o nosso padrão", finalizou Lear.

* Leandro Souza viajou a Austin para o Dell Technologies Forum a convite da Dell.