CLOUD

Toro Investimentos migra para nuvem da Oracle

23/02/2022 10:22

A fintech comprada pelo Santander estima economizar 20% no longo prazo.

Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Toro Investimentos, corretora de valores adquirida pelo grupo Santander Brasil, migrou sua infraestrutura do modelo on-premise para a solução Oracle Cloud Infrastructure (OCI).

A implementação foi feita entre os dias 29 e 31 de novembro pela própria equipe de tecnologia da Toro, com suporte da Oracle.

Com a base de clientes crescendo em ritmo acelerado, a companhia precisava adquirir novas máquinas e novo armazenamento com frequência, além de deslocar o time constantemente para fazer os ajustes e atualizações necessários na base de dados.

“Toda essa manutenção tem um custo embutido de pessoas, horas e planejamento. Com o uso da nuvem, o processo é muito mais fácil, já que podemos fazer os ajustes em pouco tempo e comportar este crescimento da empresa também”, explica Diego Couto, gerente de tecnologia na Toro Investimentos.

Segundo a fintech, a ideia é dar mais segurança e facilidade de acesso a clientes novos e recorrentes. Além disso, seu time de tecnologia pode se dedicar a criar novas funcionalidades para a plataforma.

A escolha pela Oracle se deu pelo custo benefício proposto, que teve mais descontos e vantagens em relação à infraestrutura anterior.

Com a implementação, a companhia estima que será possível economizar 20% no custo a longo prazo com a nuvem, evitando gastos indiretos do armazenamento on-premise. Além disso, já foi percebido um ganho no desempenho em relação às tarefas no banco de dados. 

“Antes, demorávamos cerca de quatro horas para fazer um backup completo do nosso banco de dados rodando em on-premise, agora estou levando de 45 minutos a 1 hora, dependendo se eu tenho ou não uma rotina de fechamento em execução”, conta Derick Costa, developer na Toro Investimentos.

Criada em 2010 como uma empresa de tecnologia e educação financeira, a Toro Investimentos teve 60% do seu capital adquirido pelo Santander Brasil em 2021. O banco a fundiu à Pi, plataforma de investimentos do banco. Juntas, elas totalizam mais de 2 mil produtos.

“Poder contribuir com mais dinamismo e segurança para esse setor que exige tanto cuidado com os dados é muito gratificante”, afirma Marcos Pupo, vice-presidente sênior de Oracle Cloud para a América Latina.

Presente no Brasil há 33 anos, a Oracle tem 30 regiões de nuvem no mundo. Deste total, 23 são comerciais e sete, governamentais, sem contar as diversas regiões dedicadas aos serviços de inteligência dos Estados Unidos.

Hoje, aproximadamente 70% da receita da empresa no Brasil já vem do mundo cloud. No portfólio da companhia, estão nomes como SKY, TIM e Sky.One.

Veja também

REFORÇO
Nuvemshop contrata ex-Mercado Pago

Renato Burim vai assumir a liderança do sistema de pagamentos da plataforma.

SANEAMENTO
Sanepar terá ERP da Oracle

SAP ganhou mega licitação de ERP primeiro, mas a Oracle riu por último. Projeto é da Wipro.

NUVEM
Raizen migra para Azure

Projeto vai durar cinco anos e envolve todas as áreas de negócio do grupo.

40 GRAUS
AWS tem zona de nuvem no RJ

Com novo data center, gigante de nuvem iguala a oferta da rival Microsoft.

HRTECH
Sólides levanta R$ 530 milhões

A rodada série B foi promovida pela gestora de private equity Warburg Pincus.

CIFRAS
Totvs fatura R$ 3,2 bilhões, alta de 24%

Na verdade, esse é o valor da Receita Líquida de Funding (Non-GAAP).