Foto: Petroperu.com.pe

A catarinense Dígitro, que fechou 2011 com faturamento em torno de R$ 115 milhões, é a responsável pela maior implantação de plataformas de telefonia com tecnologia híbrida (IP, satélite e telefonia convencional) já realizada no Peru.

A empresa, que abriu filial no país em janeiro deste ano, está em fase de conclusão do projeto para a Petróleos do Peru – Petroperú, que irá integrar com a telefonia suas 19 unidades dispersas por todo o território nacional.

“Entre os pontos integrados estão diversas plantas de prospecção e plataformas de exploração localizadas em pleno interior da selva amazônica”, destaca Rodrigo Rolon, consultor de Negócios Internacionais da Dígitro.

O contrato, que é também o maior já realizado pela empresa de Florianópolis fora do Brasil, inclui mais de dois mil aparelhos de telefonia IP e 33 plataformas de PABX inteligente, com suporte para chamadas analógicas e digitais envolvendo cerca de 2,8 mil terminais fixos e móveis.

A estrutura também agrega suporte a aplicações de vídeo-chamada.

“A completa integração da telefonia com a rede corporativa da empresa viabiliza a oferta de gerenciamento e suporte unificado dos serviços, eliminando estruturas redundantes e centros de custos paralelos”, destaca Rolon.

No projeto, conquistado via licitação internacional iniciada ainda em 2010, a Dígitro atua em parceria com a empresa peruana Realta System, especializada em integração de redes.

Ainda de acordo com Rolon, algumas aplicações são inéditas no Peru, como as chamadas telefônicas com vídeo e as conexões móveis de voz Wi-Fi na comunicação interna da petrolífera.

Além disso, as plataformas de PABX da Dígitro também oferecem recursos automáticos para roteirização de chamadas analógicas, com base nos custos mais baixos de cada operadora, e para estabelecimento de políticas de tarifação interna dos ramais, eliminando uso improdutivo da estrutura.

Mais: todos os serviços prestados pelas operadoras, bem como o tráfego de chamadas internas e externas da Petroperú passam a ser monitoradas por ferramentas de gestão inclusas na plataforma.

“Isso viabiliza administrar não só fluxos internos, mas também o cumprimento de contratos de SLA estabelecidos com as operadoras”, afirma Rolon.

Para Walter Ishibashi, gerente da Negócios Internacionais da Dígitro, a extensão do projeto dá aval à companhia no mercado latino.

“Já viemos há vários anos exportando intensamente para vários países da América Latina, mas a complexidade desse projeto atesta um nível de capacidade que poucas empresas mundiais têm condições de fornecer na região”, assinala.

Especializada em soluções de comunicação de voz e dados, a Dígitro possui nove escritórios regionais no país, além de atuar em 11 países na América Latina e África.

A companhia também mira a área de segurança, com foco especial em grandes eventos, como a Copa de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016, por meio de alianças como a recentemente firmada com a israelense IAI.

Gigante da área de segurança pública, a IAI complementa o leque que os catarinenses já ofereciam, com ferramentas de aquisição e análise de dados já usadas em todas as secretarias de segurança brasileira.