Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb. Foto: divulgação.

A Sensorweb, catarinense especializada no monitoramento e controle de temperatura e umidade da cadeia fria da saúde, está desenvolvendo um projeto que venceu o edital Finep 4.0, liderado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC), com investimento de R$ 2,3 milhões.

Do valor total, R$ 1,52 milhão foi obtido por meio de subvenção da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e R$ 777 mil são de contrapartida da startup. 

Chamada de Sensorweb Insights, a solução é um sistema inteligente de gestão de alerta para dispositivos de IoT em saúde e tem previsão de execução de dois anos.

Segundo Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb, editais como este permitem agregar novas tecnologias e produtos ao portfólio da empresa na busca pela diferenciação da concorrência.

“Estamos criando uma área de inteligência artificial aplicada à internet das coisas. Esse é o futuro da Sensorweb. Com inteligência aplicada inicialmente em nosso negócio poderemos entregar serviços com mais alta qualidade e resultados, futuramente criando um produto novo para o mercado de IoT”, explica o executivo.

Em paralelo ao projeto, a startup venceu outros dois editais em 2020. O primeiro dará origem a um sistema de medição e gestão do consumo de gás medicinal beira leito e o segundo, a um sistema integrado de rastreamento, controle e qualidade da higienização de mãos em hospitais.

Com prazo de 24 meses, o projeto de gases é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), que entrou com R$ 293,3 mil, enquanto a startup investe R$ 57,6 mil.

Já o equipamento voltado à higienização das mãos foi aprovado pelo edital Finep Covid, com R$ 833,8 mil em recursos vindos da estatal e R$ 127,7 mil, da Sensorweb. O prazo estimado de conclusão deste projeto é de 12 meses.

“Para ambos os projetos, a expectativa, com base em pesquisas empíricas realizadas no mundo, é de que haja uma redução do tempo que um paciente fica internado e que o mesmo seja bem atendido com mais medições além das já existentes hoje”, explica o CEO da Sensorweb.

Juntos, os três projetos ligados à inteligência artificial têm orçamento de R$ 3,61 milhões.

Fundada em 2009, a Sensorweb tem sede em Florianópolis e, atualmente, possui uma solução de monitoramento contínuo e on-line para temperatura, umidade, energia, abertura de portas e outras grandezas.

São mais de 5,6 mil pontos monitorados em mais de 350 unidades de saúde. Entre os clientes, estão a Unimed em diferentes cidades, Rede D'or São Luiz, Albert Einstein, Grupo Fleury, Hemorgs, Dasa, Sodexo e Yara.